Comentários

O mangá de My Hero Academia se viu recentemente envolvido em uma complicada polêmica. No mais recente capítulo, foi revelado o nome do Dr. Ujiko, que na verdade se chama “Maruta Shiga“. O problema é que “maruta” é uma referência direta a um dos piores crimes de guerra já cometidos pelo Japão.

“Maruta” faz referência à macabra Unidade 731, que utilizava humanos em bizarros experimentos durante a Segunda Guerra Mundial. O programa recebeu o codinome de maruta (toras de madeira) pois os membros da Unidade de referiam às vítimas de forma jocosa, perguntando “quantas toras foram derrubadas?”. Entre as pessoas selecionadas para os experimentos estavam criminosos comuns, guerrilheiros anti-japoneses, prisioneiros políticos e pessoas capturadas por “atividades suspeitas”.

Isso gerou um tremendo problema para a obra no Japão, fazendo com que tanto a editora Sueisha quanto o autor Kohei Horikoshi precisassem vir a público se desculpar e prometer alterar o nome do personagem. Porém, parece que já era tarde, pois a China teve uma reação bem radical em meio a toda a controvérsia.

A Bilbili, um dos maiores serviços de streaming do país, retirou todas as temporadas de My Hero Academia de seu catálogo. O mangá também foi banido pela Tencent, maior portal de internet da China.

Isso também influenciou o novo game mobile de My Hero Academia, que foi encerrado temporariamente, pois seus desenvolvedores são chineses.

Resta saber como (e se) a situação será resolvida.



Comentários