Comentários

Desde o primeiro comentário de Martin Scorsese sobre os filmes da Marvel, temos uma verdadeira discussão acontecendo a cada nova declaração de algum famoso ou envolvido na indústria. Agora, o editor Jeffrey Ford, que trabalhou em Vingadores: Ultimato, comenta:

‘Eu penso que Scorsese tem um ponto interessante quando ele diz que realmente precisamos voltar à noção de cinema como uma comunidade com os membros da audiência vendo uma expressão artística na tela. Eu sei que quando eu vejo o filme com a audiência, há uma reação profunda e emocional.’

Com as recentes declarações de Scorsese de que filmes de super-heróis são “parques temáticos” que não podem ser considerados cinema, a BBC então lhe questionou se essa sua opinião também se estende a “Coringa“.

Conheço o filme muito bem e conheço Todd muito bem. Minha produtora, Emma Tillinger Koskoff, produziu ele. Então, é uma pergunta interessante. Eu pensei muito sobre isso nos últimos quatro anos, sobre o Coringa, e decidi que não tinha tempo para isso. E também, você está certo, é influenciado pelos meus filmes. De qualquer maneira, são razões pessoais pelas quais não me envolvi.

Esse filme é diferente de um filme de super-heróis. É muito diferente. Os filmes de super-heróis, como eu disse, são como outra forma de arte. Eles não são fáceis de fazer, há muitas pessoas muito talentosas fazendo um bom trabalho, e muitos jovens realmente gostam deles. Mas acho que é mais uma extensão de um parque de diversões.”

O diretor elogiu ainda o roteiro de Coringa, classificando-o como “muito bom”. Chamou o trabalho de Joaquin Phoenix de “incrível” e definiu o longa como “um trabalho notável”.



Comentários