Comentários

O cenário competitivo de Rainbow Six Siege conheceu um novo campeão neste domingo (10). A Natus Vincere venceu a DarkZero Esports por 2 a 0 na decisão da décima temporada da Pro League e conquistou o título do torneio disputado em Tokoname, no Japão.

As equipes brasileiras mostraram potencial, mas tiveram eliminações precoces diante das rivais norte-americanas. No sábado (9), pelas quartas de final, a FaZe Clan foi derrotada pela DarkZero, enquanto a Ninjas in Pyjamas não conseguiu superar a Team Reciprocity e também ficou pelo caminho. O público pôde acompanhar todas as emoções do torneio nos canais oficiais do Rainbow Six Esports Brasil na Twitch e no YouTube.

Com a conquista, a Natus Vincere chega ao seu primeiro título de grande expressão desde que entrou para o cenário profissional da modalidade, em fevereiro deste ano, e consolida sua ascensão meteórica.

Depois de confrontos equilibrados diante de Wildcard Gaming e Team Reciprocity nos playoffs, a Na’Vi chegou à grande final com moral. Do outro lado, a DarkZero, liderada por Brandon “BC”, se apresentava como favorita após ótimas atuações contra FaZe Clan e Aerowolf.  No entanto, a line-up europeia surpreendeu em uma partida cheia de reviravoltas.

No primeiro mapa do duelo, Consulado, os dois times começaram trocando rodadas e mostrando muito equilíbrio. Com 3 a 3 no placar, a Natus Vincere assumiu o controle das ações depois de ótima sequência no seu ataque. O time de Szymon “Saves” passou a aproveitar os erros adversários, venceu por 7 a 4 e abriu vantagem.

Depois de surpreender a DarkZero, a NaVi repetiu o roteiro no mapa Litoral. Apesar da desvantagem, os norte-americanos até melhoraram o seu desempenho, mas continuaram cometendo os mesmos equívocos e deram mostras de nervosismo no momento de definir as rodadas. Do outro lado, a Natus Vincere teve atuação segura para confirmar a vitória por 7 a 3 e o título da Pro League.

Desempenho brasileiro

O Brasil levou para o Japão duas representantes. Após ótimas campanhas na região latino-americana, Ninjas in Pyjamas e FaZe Clan entraram nas finais da Pro League com o objetivo de trazer o segundo título mundial para o país, mas deram adeus ao campeonato nas quartas de final. Para disputar o torneio, as duas precisaram fazer alterações em suas line-ups por conta de problemas com os vistos japoneses de alguns atletas.

Na partida de abertura, a FaZe tinha uma difícil missão contra a DarkZero. Com Nino “ninexT” – que substituiu Ronaldo “ion” – o time equilibrou forças com o adversário, mas o jogo coletivo e a experiência pesaram para o outro lado. Com vitórias no mapa Banco, por 7 a 5, e no Consulado, por 7 a 4, a DZ confirmou a classificação e eliminou a equipe de Leonardo “Astro”.

A Ninjas in Pyjamas, que contou com os reforços dos espanhóis David “p0lo” e Álvaro “baroz”, substitutos de Julio “JULIO” e João “Kamikaze”, entrou em ação contra a Team Reciprocity. Apesar do início equilibrado, a NiP não conseguiu superar a tática da organização canadense, que venceu por 7 a 3, no mapa Litoral. No mapa Consulado, no entanto, os Ninjas reagiram quando o resultado já parecia definitivo. O time levou a partida para a prorrogação, mas perdeu nos detalhes por 8 a 6 e encerrou a participação brasileira em Tokoname.

Operação Shifting Tides

Neste domingo (10), o público também conheceu todas as novidades que a Operação Shifting Tides trouxe ao jogo. Além de uma remodelagem no mapa Parque Temático, outros dois operadores se juntarão ao Time Rainbow.

Kali é uma operadora de ataque que usa o seu rifle de ferrolho equipado com um gadget explosivo para fazer muito mais que buracos em paredes e inimigos. Wamai, operador de defesa, utiliza o MagNET, que ao ser fixado em uma parede pode atrair qualquer projétil lançado pelo time atacante. A nova atualização já estará disponível nos servidores de teste nesta segunda-feira (11).



Comentários