Comentários

A Ubisoft conseguiu reinventar uma de suas franquias mais populares nos últimos anos, incluindo Assassin’s Creed e Ghost Recon. A última teve sua primeira experiência com mundo aberto em 2017, algo que perdura nesta sequência. Construindo em cima dos alicerces de Wildlands, Breakpoint também tem suas diferenças e é delas que falaremos aqui.

O jogo se passa alguns anos depois de Wildlands e você controla um novo protagonista chamado Anthony Perryman, que é parte de um esquadrão de elite chamado Ghosts. Você se encontra em uma ilha chamada Auroa, que é do bilionário Jace Skell da Skell Technologies. Entretanto, os produtos Skell acabam caindo em mãos erradas e a ilha é fechada para o mundo exterior, precisando da atuação dos Ghosts. O seu esquadrão é atacado na chegada da ilha e você fica sozinho.

Quem jogou os DLCs de Wildlands, sentirá algo familiar aqui, já que Cole D. Walker está presente, embora tenha se tornado líder de uma facção própria. Walker é interpretado pelo sempre carismático Jon Bernthal, que tem uma ótima performance no jogo.

Breakpoint é como uma mistura de muitos elementos de Wildlands, The Division 2 e Far Cry New Dawn. O jogo atua como um looter shooter, onde você mata inimigos e ganha novas armas e gear no caminho. Uma boa melhoria é que foi incluído o recurso de loot automático enquanto você passa por cima da recompensa. Isso é algo que salva tempo e que deve ser adotado por todos os jogos.

As mecânicas de seleção de arma e de tiro são bem impressionantes. Existem muitos tipos diferentes de armas para escolher e você pode trocar facilmente durante o jogo. A variedade de veículos também é bastante interessante, o que traz muita diversão enquanto você percorre o mapa de Auroa. Entretanto, existem momentos em que você provavelmente começará a usar a viagem rápida para apertar o passo.

Ghost Recon Breakpoint também introduz um sistema de classes que adiciona uma camada RPG ao jogo. No começo, você pode escolher entre Field Medic, Assault, Panther ou Sharpshooter, cada uma delas tem diferentes habilidades que podem ser desbloqueadas durante o leveling.

A estrutura geral de Breakpoint faz com que você selecione missões para viajar na ilha de Auroa. Algumas são de história e precisam ser completadas para zerar o game, enquanto outras são paralelas.

Provavelmente, a grande mudança do jogo é a falta de parceiros de IA para ajudar a sobreviver no jogo. Embora você possa jogar com seus amigos no modo online, você terá que jogar sozinho caso não tenha ninguém para jogar com você. O modo solo é mais similar a um jogo de Stealth, tipo Splinter Cell, mas com todo o sabor da série Ghost Recon.

Jogar sozinho funciona muito bem com as mecânicas de sobrevivência do jogo, algumas bem efetivas. Você possui um medidor de vida que pode ser recuperado através de medicamentos e curativos.

Ghost Recon Breakpoint também introduz o sistema de beber e comer no jogo. Encontrar materiais também é algo importante, já que você pode construir diversos itens. E para aqueles que preferem algo diferente da experiência PvE, Breakpoint tem um novo modo PvP chamado Ghost War.

Na Ghost War você tem dois tipos de jogo: Eliminação e Sabotagem. Ambos são bem divertidos.

Ghost Recon Wildlands traz uma base sólida para a franquia junto de Wildlands. É um jogo que pode te trazer diversão e que mostra que a Ubisoft tem desenvolvido diferentes recursos e experimentado novas ideias para suas franquias.


Veja também:


Comentários