Comentários

A jornada de Watchmen para as telas foi fascinante. A HQ de Alan Moore e Dave Gibbons finalmente conseguiu chegar aos cinemas em 2009 com Zack Snyder, mas antes disso protagonizou algumas histórias de bastidores bem bizarras.

A mais famosa delas vem da adaptação que seria dirigida por Terry Gilliam, e da qual elencamos aqui os 10 fatos mais curiosos.


Joel Silver seria o produtor

Joel Silver é conhecido por produzir de tudo, desde filmes de ação de grande orçamento como Predador e Matrix, até filmes menores como Beijos e Tiros, então a ideia de ele estar ligado a um meio-termo entre esses dois, como Watchmen, não é algo totalmente louco. No entanto, o fato é que ele estava obcecado em… bem, em ignorar o material de origem.

Silver até hoje acredita que sua versão teria sido um filme superior ao de Snyder, porque Snyder, nas palavras de Silver para o ComingSoon.net, “é muito escravo do material original“.


Robin Williams estaria interessado em interpretar Rorschach

De acordo com um relatório de 2005 da Entertainment Weekly, o astro Robin Williams estava interessado em um papel no filme. Embora nenhum dado específico tenha sido dado em particular, acredita-se que o papel em que Williams estava interessado era o do vigilante Rorschach.

Williams interpretou sociopatas com cicatrizes emocionais em filmes como Retratos de uma Obsessão e Insônia, então não chega a ser difícil imaginá-lo no papel.


Joel Silver queria Arnold Schwarzenegger como Doutor Manhattan

Naquela que talvez seja a ideia mais “Joel Silver” de todas, o produtor queria, de acordo com Dave Gibbons, que o superastro de ação Arnold Schwarzenegger assumisse o papel de Dr. Manhattan. Apesar de Schwarzenegger ter o físico certo para fazê-lo, sua capacidade de interpretar um cientista americano permanece em questão.

Pelo menos o público chegou a ver Arnold Schwarzenegger pintado de azul interpretando um cientista (felizmente vestido) quando assumiu o papel de Senhor Frio em 1997, no infame Batman e Robin.


Gilliam acreditava que a televisão era o melhor meio para Watchmen

Gilliam claramente queria fazer de Watchmen um evento. Ele passou muitos anos apresentando roteiros e planejando sua adaptação antes de finalmente desistir. Levar uma HQ de 400 páginas para as telas era uma tarefa quase impossível, tendo em conta os tempos normais de execução de um filme. A versão cinematográfica de Zack Snyder tem três horas e ainda assim possui cortes. A ideia de Gilliam para superar isso seria uma minissérie de cinco horas.

Gilliam discutiu isso em uma entrevista nos anos 2000 com o IGN. De acordo com o diretor, essa era a única maneira de alguém dizer tudo o que o material original estava tentando dizer, embora também diga que ninguém além de si mesmo parecia empolgado com a ideia.


O roteiro era escrito pelo mesmo cara que escreveu Batman: O Filme

A carreira de Sam Hamm como roteirista é relativamente escassa, considerando que ele escreveu um do mais famosos filmes modernos de super-heróis, Batman: O Filme, e sua sequência Batman: O Retorno. E era ele o roteirista do Watchmen de Terry Gilliam.

Em uma entrevista com a EW, Hamm falou sobre as preocupações de Gilliam, afirmando que era uma tarefa árdua condensar uma obra de arte tão rica sem perder alguns dos significados e subtextos mais profundos. Talvez não seja coincidência que esta seja uma das queixas mais comuns com a adaptação de Snyder.


Um final ainda mais diferente

O filme de Snyder mudou o final da HQ, substituindo a criatura morta gigante por uma bomba, e deixou muitos fãs revoltados. Mas o final revisado de Gilliam e seu colaborador Charles McKeown para o roteiro de Hamm era ainda mais diferente. Envolvia viagem no tempo.

De acordo com Silver, o final de Gilliam trazia o Doutor Manhattan viajando de volta no tempo e evitando que o acidente que o transformou em um super-ser nuclear acontecesse. O filme então cortaria para a Times Square nos dias atuais (em 1991), onde uma criança lia uma história em quadrinhos e Rorschach, Coruja e Espectral estavam parados próximo dali, mostrando efetivamente que sem Manhattan os super-heróis continuavam sendo uma novidade.


Zack Snyder considera que salvou Watchmen das mãos de Terry Gilliam

Quando adaptou Watchmen em 2009, Zack Snyder disse ao Huffington Post que o fez para “salvá-lo dos Terry Gilliams deste mundo“. De acordo com Snyder, a versão de Gilliam do final é muito diferente do final da graphic novel, enquanto que sua versão só mudou detalhes menores.

Gilliam respondeu diretamente ao ataque do diretor, afirmando que o final de Snyder “sofria do problema que eu estava feliz em evitar ao não fazer o filme.”


Alan Moore odiava essa adaptação (assim como odeia todas)

Aqueles que acompanham a carreira de Alan Moore sabem que ele não é fã de que outras pessoas adaptem o seu trabalho, e em entrevista à EW, ele disse acreditar que suas obras não podem ser totalmente realizadas na tela. “Meu livro é uma história em quadrinhos. Não é um filme, nem um romance. Uma história em quadrinhos. Foi feito de uma certa maneira e projetado para ser lido de uma certa maneira: em uma poltrona, agradável e aconchegante ao lado de um lareira, com uma xícara fumegante de café.”


Falta de financiamento matou o projeto

No fim, estava começando a ficar claro que o Watchmen de Gilliam estava morto na linha de partida, e enquanto ele e Silver buscavam US $ 100 milhões para a adaptação da graphic novel, só conseguiram garantir US $ 25 milhões. Por causa disso, o filme acabou por cair no esquecimento antes de mudar de mãos várias vezes até, eventualmente, chegar a Snyder.


Gilliam admite que não tinha como fazer o filme

Ao falar sobre o filme, Gilliam não se refere a ele como uma oportunidade perdida, mas algo que era maior do que ele naquela época. Tudo, desde as preocupações com o orçamento, à falta de tempo de execução adequado, ao clima de mudança pós-Guerra Fria, significava que seu Watchmen não era o que precisavam ser.

Em uma entrevista com o IGN, Gilliam afirma que chegou a ser abordado para ressuscitar o projeto após o sucesso de sua adaptação de Hunter S. Thompson, Medo e Delírio, em Las Vegas, mas a essa altura ele já não queria mais saber de Watchmen.



Comentários