Comentários

Jack Kirby ocupa um lugar especial na história dos quadrinhos como um dos maiores criadores do meio. Seu status como Rei dos Quadrinhos é mais do que merecido, já que muitas de suas criações lideram a indústria ainda hoje. Juntamente com criadores frequentes como Stan Lee e Joe Simon, Kirby deu vida a personagens como Capitão América, Thor, Quarteto Fantástico, Hulk, Homem de Ferro e X-Men.

Mas essa enorme inventividade de Kirby também gerou alguns personagens bastante bizarros. Alguns conseguiram se tornar populares, outros acabaram esquecidos, mas uma coisa é certa… mesmo as mais malucas das criações de Jack Kirby demonstram o quanto o Rei era uma máquina de ideias.

Confira abaixo uma lista das maiores doideiras que já saíram da cabeça de Jack “Rei” Kirby.


Galactus

Em 1966, a dupla Stan Lee e Jack Kirby estava procurando criar algo que ninguém jamais havia visto antes. Assim, em Quarteto Fantástico #48 estreava Galactus, uma espécie de astronauta gigante com um capacete fantástico que drenava a energia vital de planetas para se alimentar. Ao contrário de outros vilões da época, Galactus era um ser divino, uma força imparável da natureza que não podia ser evitada. Ele era muito mais do que simplesmente “mal”.

A história em três edições que se desenvolveu no Quarteto Fantástico naquele ano veio a ser conhecida como “A Trilogia Galactus” e foi considerada um clássico instantâneo. Kirby originalmente pretendia que Galactus fosse um personagem para apenas essa história, mas sua popularidade o tornou recorrente.


Ego, o Planeta Vivo

Ego é um planeta senciente com… um rosto. Ele foi criado por Jack Kirby quando o artista se tornou mais e mais interessado em explorar o espaço e o universo em geral. Ele estreou em Thor #132 em 1966 como inimigo, mas posteriormente assumiu o papel de aliado após um encontro com Galactus.

Kirby desenvolveu Ego baseado na ideia de fenômenos estranhos e inexplicáveis ocorrendo em cantos desconhecidos da galáxia por milhões de anos, dos quais não temos conhecimento. Ele acreditava que, se formas de vida fossem desenvolvidas sozinhas, elas poderiam se transformar em algo muito mais avançado do que a raça humana. Ego é a personificação da ideia de Kirby de que há algo lá fora que é mais inteligente, mais forte e superior a nós.


Uatu, O Vigia

Jack Kirby apresentou os leitores a Uatu, O Vigia, nas páginas de Quarteto Fantástico #13 de 1963. Nesta edição, ele aparece de repente para acabar com uma briga entre o Coisa e o Fantasma Vermelho (com seu trio de macacos de estimação) na lua. Outro dos seres divinos de Kirby, o Vigia é um ser proibido de alterar eventos, apenas observá-los.

Desde o início, ele foi estabelecido como um membro de uma antiga raça que assiste e documenta atividades em todo o universo. O nome verdadeiro do Vigia só foi revelado em Capitão Marvel #39 de 1975.


OMAC

Se você quer algo bizarro, o OMAC cumpre o papel. Billy Blank é transformado no futurista e superpoderoso One Man Army Corps pelo satélite artificial inteligente conhecido como Irmão Olho. O personagem foi introduzido em OMAC #1 de 1974; no entanto, a série durou apenas oito edições e foi cancelada. Mais tarde, a DC decidiu fundir duas das criações de Kirby, tornando Buddy Blank o avô de Kamandi.

Kirby criou o OMAC principalmente porque ele precisava cumprir seu contrato com a DC Comics. Os Novos Deuses tinham acabado de ser cancelados, mas suas 15 páginas por semana ainda precisavam ser entregues. Kirby então desenvolveu o OMAC a partir de uma ideia que ele vinha pensando há algum tempo: uma história do Capitão América no futuro. Como não pôde fazer isso na Marvel, aproveitou a ideia na DC.


Fin Fang Foom

Um dos mais notáveis monstros da Marvel criados por Stan Lee e Jack Kirby foi o Fin Fang Foom. Introduzido pela primeira vez em Strange Tales #89 de 1961, Fin Fang Foom na verdade antecede os super-heróis da Marvel Comics por vários anos. Somente mais tarde ele foi introduzido na continuidade do mainstream da empresa. Aliás, ele é um monstro dragão que usa calças.

Fin Fang Foom era visualmente baseado na representação tradicional de um dragão chinês, e Lee o nomeou baseado em uma peça chamada Chu Chin Chow sobre um comerciante chinês, que ele viu quando era criança. Apesar das referências chinesas, Fin Fang Foom é na verdade membro de uma raça alienígena que uma vez veio à Terra para conquistá-la.


Homem-Dragão

Nós geralmente nos lembramos de Jack Kirby como o criador de super-heróis icônicos como Quarteto Fantástico, Thor, Homem de Ferro e Capitão América, mas por um longo período, o Rei dos Quadrinhos era conhecido apenas por seus monstros. Todo mês, os leitores esperavam ansiosamente pela nova criação bizarra que enfrentaria o herói do gibi. Talvez um dos mais estranhos monstros de Kirby seja o Homem Dragão.

O Homem Dragão é um androide humanoide parecido com um dragão que foi construído por um cientista e de alguma forma animado pela poção alquímica do supervilão Diablo. Introduzido em Fantastic Four #35 de 1965, o Homem-Dragão foi por muito tempo uma ferramenta para os malfeitores, até a Fundação Futuro transformá-lo em um gênio.


Androide do Pensador Louco

Outro estranho monstro de Kirby é o Androide do Pensador Louco, um ser artificial de 5 metros de altura com o que parece ser um tijolo no lugar da cabeça. A criatura estreou em Quarteto Fantástico #15 de 1963 como uma criação do Pensador Louco, que desencadeou seu monstro contra as habilidades combinadas do Quarteto Fantástico. Ele é capaz de assumir os poderes do seu adversário, o que sempre dá muito trabalho.

O Androide foi criado por Jack Kirby e Stan Lee com o objetivo de ser o mais estranho possível. O Pensador Louco o projetou combinando DNA de um macaco com as próprias moléculas instáveis patenteadas por Reed Richards, adicionando a um corpo super forte com um computador embutido e energia solar.


Corredor Negro

Quando Jack Kirby se mudou para a DC Comics, muitas de suas ideias acabaram sendo versões alternativas ou evoluídas de seu trabalho na Marvel. Os Novos Deuses implicitamente seriam os sucessores dos Deuses Antigos vistos em Thor. Quando chegou a hora de desenvolver o mortal avatar da corrida, ele não foi muito longe de sua antiga criação, o Surfista Prateado.

O Corredor Negro se parece com um homem usando uma armadura de cavaleiro e uma capa que pode voar pelo ar usando um par de esquis para se locomover. Sejam pranchas de surf ou esquis, Kirby gostava de formas alternativas de transporte. O Corredor Negro também assumiria a forma de Willie Walker, um veterano do Vietnã que estava paralisado. Assim como muitos deuses antigos, Walker recolhia os Novos Deuses no momento de suas mortes para levá-los à vida após a morte.


Homem Psíquico

Aqui está um detalhe interessante: o Homem Psíquico é na verdade um ser microscópico que opera uma armadura robótica do tamanho de um homem para cometer crimes. Aparecendo pela primeira vez em Quarteto Fantástico Anual #5 de 1967, o Homem Psíquico vem do Microverso, e é o líder de seu povo. Ele invade a Terra na esperança de conquistá-la.

Graças ao seu traje robótico, ele tem a força para enfrentar o Quarteto Fantástico. Sua Caixa de Controle permite que ele influencie as emoções dos seres humanos, fazendo com que eles sintam medo ou ódio ao apertar um botão. Essa habilidade permite que ele facilmente subjugue as pessoas que encontra.


Doughboy

Doughboy figura como um dos mais estranhos monstros criados por Kirby. Ele é essencialmente um poderoso homem-torta com um rosto. Kirby deve ter sido influenciado pelo Pillsbury Doughboy, que foi apresentado a comerciais de televisão há pouco mais de uma década antes da introdução de sua criação.

O monstro semi-senciente foi desenvolvido por Arnim Zola para servir como seu servo no Castelo Zola na Suíça. Ele estreou em Captain America #209 de 1977 e provou ser eficaz até mesmo contra o poderoso Steve Rogers. Doughboy é capaz de manipular sua forma de muitas maneiras diferentes – adicionando e subtraindo massa, mudando de forma e alterando sua densidade. Pense nele como uma versão mais bizarra do Cara-de-Barro, se ele fosse feito de… bom, massa de bolo.


Trull, o Desumano

Trull, o Desumano é provavelmente a mais obscura criação de Kirby nesta lista, mas isso não o torna menos bizarro. Introduzido em Tales to Astonish #21 de 1961, Trull é uma entidade alienígena que perde seu corpo físico depois de cair na Terra. A essência da entidade habita então o “corpo” de uma… escadeira a vapor.

Trull, o Desumano então começa suas tentativas de conquistar o mundo, com suas primeiras ações sendo a destruição da equipe de construção nas proximidades. Através de Trull, a escavadeira a vapor pode falar, fazer exigências e erguer pedras enormes com a boca. Quem sabe o que essa criatura teria sido capaz de fazer… se um elefante não tivesse surgido e acabado com ela.


Inteligência Suprema

A Inteligência Suprema é essencialmente uma cabeça gigante alienígena em um tanque que dá sabedoria e lidera o povo Kree. Foi criada há milhares de anos pelos cientistas Kree que preservaram os cérebros das maiores mentes de sua cultura. A adição de um supercomputador acaba resultando no cérebro formando uma inteligência coletiva que é capaz de armazenar vastas coleções de conhecimento e processar quantidades insondáveis de dados.

Stan Lee e Jack Kirby criaram o ser em Quarteto Fantástico #65, quando introduziram Ronan, o Acusador e o Império Kree. Na história, a Inteligência Suprema envia Ronan para lutar contra o Quarteto Fantástico. Ela também possui grandes poderes telepáticos, juntamente com muitas outras habilidades.


Dinossauro Demônio

Nos anos 70, a DC Comics planejava transformar a série Kamandi de Kirby em um desenho animado. A Marvel tentou contra-atacar fazendo com que ele criasse um personagem parecido tendo um dinossauro como companheiro. Nascia o Dinossauro Demônio, um gigante e vermelho Tiranossauro Rex, e seu amigo Moon-Boy. As intenções originais de Kirby eram colocar suas aventuras no passado da Terra, quando humanos e dinossauros (de alguma forma) coexistiam.

O personagem estreou em Devil Dinosaur #1 de 1978, uma série que durou apenas nove edições antes do cancelamento. O Dinossauro Demônio pode não ter sido um sucesso financeiro, mas certamente ajudou Kirby a manter seu status como um dos criadores de quadrinhos mais originais. Embora a Marvel tenha tentado lançar sua própria série animada, ela nunca foi concretizada. Na verdade, Kamandi também não.


MODOK

Jack Kirby claramente gostava de desenhar cabeças gigantes, como foi evidenciado pela criação de vários personagens nesta mesma lista. Ele criou o organismo conhecido como MODOK, um homem conhecido como George Tarleton, que foi transformado pelo IMA (Ideias Mecânicas Avançadas) em um ser super inteligente. Como resultado dos experimentos, MODOK desenvolveu uma cabeça enorme, exigindo que ele se movesse em uma cadeira voadora.

MODOK finalmente se rebelou contra seus criadores e, usando suas novas habilidades, tornou-se o novo líder da IMA. O vilão fez sua primeira aparição em Tales of Suspense #94 de 1967, onde lutou contra o Capitão América. Os dois personagens se tornariam inimigos mortais daquele ponto em diante.


Surfista Prateado

Quando Stan Lee e Jack Kirby estavam desenvolvendo Quarteto Fantástico #48, a dupla havia concebido Galactus. Quando Kirby começou a desenhar a edição, porém, ele voltou com um esboço de história que era muito diferente daquelas que os dois haviam concordado. Um novo personagem foi adicionado à história, o personagem que seria conhecido como Surfista Prateado.

Kirby tinha decidido que se Galactus fosse um deus, ele teria um arauto que cumprisse suas ordens e o ajudasse em seu esforço para consumir planetas. Depois de inicialmente rejeitar a nova adição, Lee concordou em incorporá-lo à história. O corpo prateado e a prancha cósmica fazem do Surfista Prateado uma das criações mais originais da história dos quadrinhos. Em toda a sua estranheza, existe algo bonito e misterioso que o tornam imediatamente atrativo e interessante.



Comentários