Comentários

Hoje saiu um pequeno trailer “Big Game” sobre as novas séries live action do Disney+ baseadas em personagens do MCU. Para mim, aquela que mais chamou a atenção entre todas foi WandaVision e vou dizer para você a razão a seguir. 


Antes de continuar: Participe do nosso grupo de Whatsapp e receba ofertas diárias de Quadrinhos com desconto. Para participar, basta clicar aqui!


Vamos começar com o logotipo da série, em que temos escrito “WandaVision”. Os elementos tipográficos do logotipo nos remete diretamente aos anos 50. Perceba como a fonte é parecida com o logotipo de “Carros”, da Pixar, que também remete ao Corvette, um carro muito celebrado nos anos 1950 como símbolo de consumo da família perfeita. Também símbolo das famílias perfeitas estavam a publicidade dos anos 1950, estilo comercial de margarina, próprio das sitcoms da época como “I Love Lucy” e que você pode conferir os bastidores desses arranjos publicitários em séries como “Mad Men’. Esse tipo de approuch foi destacado na descrição da série:

WandaVision mistura o estilo das sitcom clássicas com o Universo Cinematográfico Marvel, onde Wanda Maximoff (Elizabeth Olsen) e Visão (Paul Bettany)—dois seres superpoderosos vivendo uma vida suburbana perfeita- começam a suspeitar de que nem tudo é o que parece. A nova série é dirigida por Matt Shakman; Jac Schaeffer é o roteirista principal. Estreia na Disney+ esse ano.

Mas se os anos 1950 remetem aos anos em que as famílias, e principalmente as donas de casa estilo Mary Sue eram perfeitas, eles também remetem a um tempo onde o futurismo foi mais pensado. É dos anos 1950 que vem aqueles designs de ficção científica retrô que estamos acostumados a ver. Nos anos 1950, de prosperidade econômica nos Estados Unidos nunca se pensou tão à frente de seu tempo. Claro que esse tipo de pensamento também se refletiu na sitcoms, que geraram programas baseados em  fantasia e ficção científica que iam desde “Terra de Gigantes”, “Perdidos no Espaço”, a “Ilha da Fantasia” e “Além da Imaginação”.

Percebemos então, quando numa televisão ao estilo anos 1950 e “I Love Lucy”, Wanda fala “Residência dos Visão, em que podemos ajudá-lo?”, que WandaVision pode não se referir aos dois personagens principais, mas apenas à Wanda e seu sobrenome, Visão. Tendo Wanda como protagonista, temos também a manipulação da realidade em voga – que ficou distante dos filmes do MCU até então, mas que parece voltar à carga com “Doutor Estranho: Multiverso da Loucura”. Isso está praticamente comprovado quando vemos diferente “visões” de Wanda (mas nenhuma versão de Visão) aparecendo na tela.

Assim, a palavra Visão tão juntinha de Wanda pode significar “As Visões de Wanda”, ou ainda “Os Visões de Wanda”, mostrando que Wanda Maximoff pode estar enlouquecendo como culminou em Dinastia M nos quadrinhos. Isso porque lá, Wanda é mostrada colorida sobre um cenário em preto e branco, onde o que havia em preto e branco era falso, idílico, uma “Visão” de uma vida perfeita em que tinha filhos perfeitos com o Visão e Magneto, seu pai, era o soberano supremo dos mutantes. Esse enlouquecimento de Wanda também pode significar que ela está acessando outras realidade, algo semelhante à doenças mentais de disassociação como a paranóia, a esquizofrenia e a síndrome de múltiplas personalidades.

Se formos pelo caminho das múltiplas personalidades, nos depararemos com a referência da série de televisão “Estados Unidos de Tara”, em que a protagonista assumia a cada dia da semana um tipo de personalidade diferente, incluindo uma correta mãe de família dos anos 1950, uma adolescente dos anos 1980 e um homem. WandaVision pode trabalhar com as diferentes “realidades” das personalidades de Wanda, que já se mostrou instável mentalmente em dissociação de personalidades nos quadrinhos também. Alguns dos papéis sugeridos no trailer do “Big Game” nos remetem aos quadrinhos, mas também às séries de sucesso da televisão estadunidense “Jeannie é um Gênio” e “A Feiticeira”, que tem tudo a ver com uma sitcom estrelada pela Feiticeira Escarlate.

Já do lado do Visão, temos algumas sitcom de famílias que podem remeter ou ainda inspirar “WandaVision” quando se trata de andróides e pais de família. São elas “Meu Marciano Favorito”, em que um alienígena assume o comando de uma família tradicional americana e outro, “SuperVicky”, em que uma menina-robô é adotada por uma família “de verdade”, mas que precisam manter a aparência de ela é uma menina normal. Mas pensar a série pelo lado do Visão, também quer dizer que Billy e Tommy, os filhos de Wanda poderão ser substituídos pelos filhos de Visão, Viv e Victor, da série criada por Tom King e Gabriel Hernandez Walta.

A probabilidade é bem baixa, visto que tudo no UCM leva a crer que os Jovens Vingadores serão o próximo investimento da franquia. Isso porque Estatuta, Gaviã Arqueira e até mesmo elementos para surgimento do Hulkling em Capitã Marvel já foram estabelecidos. Enquanto isso, Hulkling terá um papel proeminete no futuro da Marvel na saga Empire e, acreditamos que seu noivo, o Wiccano, não ficará atrás nesta empreitada, dando ênfase para o universo “jovem” dos Vingadores e também às multiplicidades de realidades que tanto WandaVision, Loki, O Que Aconteceria Se…? e Multiverso da Loucura aparentemente abrirão as portas.

Essas são algumas das minhas ideias para WandaVision. E você? O que está esparando da série? Tem algum pitaco também? Não deixe de comentar1



Comentários