Comentários

Amado por uns, odiado por outros, é inegável que o novo game de Hideo Kojima, Death Stranding, fez muito barulho na indústria dos jogos ao apresentar uma proposta completamente nova e ousada dentro de um game AAA.

Recentemente, o o codiretor de The Last of Us, Bruce Straley, falou com o Games Industry sobre como o que Kojima fez foi positivo – e ele espera ver mais.

“É possível criar um jogo tão interessante, atraente e focado em personagens, como Uncharted ou The Last of Us, sem precisar de tiros? Eu acredito que sim.

O conceito precisa ser: ‘Como consigo criar um mundo suficientemente rico para permitir mecânicas interessantes?’ Particularmente, enquanto jogador, eu quero algo inovador. Quero algo que seja diferente.

Acho que tudo isso está mudando, e acho que Hideo Kojima fez algo muito positivo para a indústria, só de tentar sacudi-la um pouco. Jogos independentes fazem isso o tempo todo.

Em Death Stranding, Hideo Kojima explorou mecânicas únicas, em uma experiência mais focada na narrativa e exploração, onde a violência é colocada em segundo plano e o jogador é incentivado a não matar. Isso gerou a Kojima o prêmio de “Melhor Direção” no The Game Awards 2019.



Comentários