Comentários

Ao criar diversos conteúdos de entretenimento e distribuí-los para diversos mercados, o UFC conseguiu atrair mais pessoas para o esporte de artes marciais mistas (MMA) e ao mesmo transformou potenciais espectadores em clientes assíduos. Quando foi comprada pela Endeavour em 2016, a marca do UFC era avaliada em US$ 4,025 bilhões.

Segundo Dana White, presidente da empresa, hoje o UFC está avaliado em US$ 7 bilhões. “Quando você pensa sobre isso, ainda nem percebemos o quão grande essa coisa pode ser”, disse em entrevista para Tony Robbins. “Acabamos de fazer um contrato de TV com a ESPN por US$ 1,5 bilhão por cinco anos”, completou White.

Essa rápida valorização da marca nos últimos anos deve-se a expansão do UFC para mercados alternativos, que vão além da TV e do Pay Per View, como a ampliação da marca nas mídias sociais e o crescimento do UFC no entretenimento online.

Mídias sociais

O UFC soma 43 milhões de seguidores nas principais plataformas de mídia social: Facebook (22 milhões), Twitter (7 milhões) e Instagram (13 milhões). Esse alto número de seguidores é muito importante para atrair grandes patrocínios e ainda garante influência de mercado para comercializar com sucesso a imagem do produto.

Em 2011, Dana White contratou uma empresa de relações públicas para ensinar a mais de 300 lutadores a utilizar as mídias sociais para promoverem seus nomes na mídia antes das lutas. A estratégia de White funcionou e teve um impacto instantâneo no aspecto financeiro.

Entretenimento online

Atento aos mercados em expansão, o UFC investe no entretenimento eletrônico e tem grandes parcerias com a EA Sports e com a PokerStars. No último mês, o UFC e o grupo PokerStars deram uma ótima notícia para os fãs do poker e das artes marciais por meio de uma parceria inédita no Brasil: o Spin & Go UFC.

Essa parceria também ocorre em outros países do mundo e trouxe uma nova dinâmica para os torneios de poker Spin & Go’s. Inspirados nas lutas do UFC, esses torneios são disputados por três competidores e tem como características serem rápidos e com muita ação envolvida.

“Tem sido ótimo trabalhar em ideias novas e inovadoras junto com a PokerStars desde que nossa parceria exclusiva começou. O Spin & Go UFC é um grande exemplo de como o PokerStars está integrando nossa marca em seu universo e trazendo novos e excitantes produtos para os fãs”, disse Paul Asencio, vice-presidente Senior do UFC para parcerias globais.

No dia 11 de maio, o Rio de Janeiro recebeu o UFC 237, etapa que teve os brasileiros Anderson Silva, José Aldo, Thiago Alves Jéssica Andrade no evento principal. Para prestigiar o público brasileiro, a PokerStars lançou uma promoção com experiência VIP exclusiva e entradas para os fãs no UFC 237.

Já a parceria com a EA Sports começou em 2012. Dois anos após o anúncio do acordo entre as duas empresas veio o lançamento do primeiro jogo da franquia EA Sports UFC, em 2014, para algumas das principais plataformas de jogos eletrônicos (PlayStation 4, Xbox One, iOS e Android).

Desde então, foram lançados mais dois jogos da franquia: EA Sports UFC 2 (2016) e EA Sports UFC 3 (2018). O último lançamento da franquia, por exemplo, trouxe importantes inovações na jogabilidade e no modo carreira.

Expansão para outros mercados

De acordo com White, a concorrência com outros gigantes do entretenimento levou o UFC a expandir seus horizontes para várias frentes.

No último trimestre de 2018, o UFC entrou de vez no universo HQ e lançou sua primeira história em quadrinhos oficial. Nomeada de Tales of UFC: Return to the Octagon (Contos do UFC: Retorno ao Octógono) e escrita por Dave Dwonch, a revista foi lançada para comemorar os 25 anos da marca.

“Quando cresci, tínhamos os canais 3, 5, 8 e 13. Hoje, esses jovens não só têm todos os canais a cabo e a DirecTV, mas também têm o YouTube e as mídias sociais e todas essas outras plataformas como a Netflix para entretê-los. O que eu realmente acredito que somos os melhores é que fazemos lutas inacreditáveis que as pessoas querem ver”, contou White em entrevista para a Fortune.

Para este ano, a empresa lançará na China o UFC Performance Institute Shanghai, que servirá como um centro de treinamento para desenvolver e dar suporte para atletas de MMA da China e da região da Ásia-Pacífico.

O UFC Performance Institute Shanghai contará com centro produção avançada. Isso permitirá ao UFC produzir e distribuir eventos ao vivo e outras programações originais do local para o mundo inteiro.



Comentários