Comentários

PilulasAzuis_ovicio

Sinopse:

Nesta narrativa gráfica pessoal e de rara pureza, por meio de um roteiro simples e de temas universais (o amor, a morte), Frederik Peeters conta sobre seu encontro e sua história com Cati, envolvendo o vírus ignóbil que entra em cena e muda tudo, e todas as emoções contraditórias que ele tem de aprender a gerenciar: amor, raiva, compaixão. Pílulas azuis nos permite acompanhar, sem nenhum vestígio de sentimentalismo, através de um prisma raramente (senão nunca) abordado, o cotidiano de uma relação cingida pelo HIV, sem deixar de lançar algumas verdades duras e surpreendentes sobre o assunto. Apesar da seriedade do tema, Pílulas azuis é uma obra cheia de leveza e humor. Não é à toa que é considerada por muitos a obra-prima de Frederik Peeters. Uma das mais belas histórias de amor já publicadas.

Detalhes

Editora: Nemo
Autor: Frederik Peeters (roteiro e desenho)
Número de páginas: 208
Data de lançamento: 19/06/2015


Antes de continuar: Participe do nosso grupo de Whatsapp e receba ofertas diárias de Quadrinhos com desconto. Para participar, basta clicar aqui!


Resenha

Depois de ganhar este quadrinho de aniversário (muito obrigado ao meu amigo Valclemir), eu tive a chance de ler esta obra e tudo ainda está rodando na minha cabeça, como se fosse um filme. E este é material que não basta ser lido, tem que ser apreciado.

Frederik Peeters, um quadrinista suíço,  pegou alguns meses de sua vida e os documentou em forma de quadrinhos. Antes de mais nada, adianto: este é um dos melhores materiais que li recentemente. É tocante, realista e nos faz pensar bastante sobre os efeitos da doença na vida sexual e emocional de um casal. Provando que quadrinhos podem atingir o leitor de diferentes formas. Sim, aqui temos uma história autobiográfica, o autor expõe seus medos e fraquezas, mas ao mesmo tempo demonstra bastante coragem.

Peeters nos conta com os ocasionais encontros com Cati ao decorrer dos anos, ainda que nunca tenha rolado nada entre eles, ela sempre chamou a atenção dele. Chega o momento em que finalmente ele tem a chance de conversar com ela em uma festa, a partir daí, o clima só aumenta. Mas então ela joga uma bomba nele:

“Eu tenho HIV, Fred. Sou soropositiva. E o meu filho também.”.

Só que Peeters não cede ao medo e aí mergulhamos junto dele no mundo dos soropositivos e vemos todas as frustrações, problemas, preocupações, surpresas e descobertas (boas e ruins) do casal. Tudo de uma forma crua e sincera. Peeters mostra o quanto ama Cati e deixa claro que ele tem a parte mais fácil do relacionamento, visto que ela carrega bastante ansiedade, culpa (por ter infectado o filho) e medo.  E mesmo reconhecendo todos os obstáculos da relação, Peeters considera que Cati é perfeita pra ele e está pronto para dividir todo o fardo. Além disso, acompanhamos Peeters se aproximando do filho dela e, ao mesmo tempo, temendo pelo destino da criança.

A arte traz um traço simples, mas os desenhos conseguem passar bem os sentimentos do autor, o fato de tudo ser preto e branco só traz uma maior solenidade ao trabalho, permitindo que o foco fique na história. É um trabalho bonito com um pincel solto (de um jeito que lembra muito outros cartunistas famosos) que só demonstra o talento do autor.

pilulasazuis_ovicio

O autor mistura afeição, intelecto e coragem, uma fórmula que nem sempre é fácil de ser alcançada, mas que é muito bem usada neste material. Pílulas Azuis é uma história envolvente e informativa sobre o os relacionamentos com pessoas soropositivas, demonstrando os desafios e preocupações que essas pessoas possuem e nos lembrando que elas também são tão humanas quanto aqueles que não possuem o vírus. Altamente recomendado!



Comentários