Comentários

Você também pode conferir este review no Guia dos Jogos, o novo site do O Vício dedicado exclusivamente à games.

Apesar de ser uma das maiores franquias de FPS da indústria dos games, Battlefield carecia de um grande jogo novamente, afinal, Hardline e Battlefield 1, os dois títulos mais recentes, não conseguiram repetir os sucessos dos jogos anteriores e agradar a fanbase no geral.

Enquanto Hardline não agradou por fugir completamente da temática de guerra da franquia, Battlefield 1 não foi de todo ruim, mas o momento histórico no qual o jogo foi situado (a 1ª Guerra Mundial) acabou tendo como consequência uma escassez de recursos e algumas adições que não funcionaram para o multiplayer do game, dando a impressão de que o jogo era uma versão de testes para algo maior que viria na sequência… e acabou sendo mesmo.

Dois anos depois temos, enfim, o lançamento de Battlefield V, jogo que desde seu anúncio gerou um grande hype na base mais fiel de fãs da saga, devido ao retorno à 2ª Guerra Mundial, lugar onde a franquia começou com Battlefield 1942.

A começar pela campanha single player que, apesar de nunca ter sido o foco da franquia, não deixa de ser um ponto importante a ser analisado, temos novamente o chamado Modo História, um dos grandes pontos positivos introduzidos em Battlefield 1 e que está de volta de maneira ainda melhor.

A campanha, que coloca os jogadores na pele de soldados comuns em vários campos de batalhas da 2ª Guerra Mundial, reforça ainda mais a mensagem introduzida no game anterior de que, ao contrário do que estamos habituados a vermos em outros jogos, não há heróis na guerra, apenas seres humanos lutando pela sobrevivência, algo que torna a experiência muito mais impactante. Além disso, as missões obviamente servem para dar uma pequena introdução aos belos mapas, armas, veículos e jogabilidade que os jogadores enfrentarão no multiplayer, o foco do game.

Seja para novos jogadores que querem se adaptar um pouco melhor ao game antes de partir para o frenético multiplayer, ou até para veteranos da franquia que gostam de uma boa história sobre esse importante período histórico da humanidade, a campanha de Battlefield V é um ótimo capítulo a parte que reforça ainda mais a qualidade do jogo.

Mas bem, vamos ao que realmente interessa, o que tornou Battefield o grande sucesso que conhecemos hoje: o multiplayer. A DICE afirmou que Battlefield V traria a “experiência definitiva” em multiplayers de Battlefield – e já adianto, cumpriu o que prometeu.

Primeiramente, temos um teamplay mais necessário que nunca. As mudanças de características promovidas nas classes (como a opção de diferentes especializações para cada classe e cada arma, que influenciam na maneira de jogar de cada player) e a diminuição de alguns recursos nas partidas, obrigaram os jogadores a trabalharem melhor em equipe para terem um melhor desempenho no campo de batalha, com cada uma das classes sendo extremamente essenciais em pontos diferentes do combate, o que deixou tudo ainda mais imersivo.

Médicos e suportes são importantíssimos dada a escassez de kits de vida e munição, snipers são a única a classe capaz de marcar inimigos avistados no mapa, enquanto um bom uso da classe assalto é determinante na linha de frente do combate, seja contra infantaria ou veículos.

Temos, ao contrário de Battlefield 1, uma variedade de boas e diferentes armas para todas as classes, todas bem bem balanceadas e dando várias opções, seja para um combate frente a frente com o inimigo, ou para tomar uma posição estratégica um pouco mais distante da linha de frente e dar cobertura aos seus aliados. Os veículos também estão poderosos e podem fazer a diferença na batalha, mas possuem pontos fracos que os tornam vulneráveis em alguns momentos, como devem ser.

Os mapas do game – pelo menos os iniciais, já que novos serão adicionados futuramente em DLCs – também foram extremamente bem planejados, proporcionando uma mistura entre bons pontos para batalhas com veículos ou de infantaria, havendo assim uma proporcionalidade que favorece todos os jogadores.

Os conhecidos modos de jogo multiplayer foram mantidos, mas temos em especial as Grandes Operações, outra boa adição introduzida em Battlefield 1 e que volta ainda melhor no novo game, trazendo as partidas mais imersivas já vistas na franquia, dando a impressão de realmente estarmos dentro de uma grande guerra que se estende por vários dias, com diferentes climas, objetivos e dificuldades que um soldado enfrentaria num campo de batalha, como a escassez de recursos cada vez maior. É incrível.

Outra adição muito legal, apesar de não ser algo que influencie nas partidas, é a possibilidade de personalização visual dos soldados que, em conjunto das especializações de classes citadas anteriormente, torna cada jogador um soldado único no campo de batalha.

Por último, e também muito importante, um dos grandes pontos positivos do game é a ausência de assinatura premium, permitindo que todos os players tenham igual acesso a todos os conteúdos que serão adicionados ao jogo, e tudo de maneira gratuita. Um grande acerto da DICE em tempos onde jogos são tão caros e ainda temos que pagar por recursos adicionais deles.

Com exceção de alguns pequenos bugs durante as partidas que, obviamente, serão corrigidos com atualizações ao longo do tempo, o game cumpre tudo o que prometeu, trazendo visuais de tirar o fôlego, excelentes recursos e conteúdos para todos os modos, um multiplayer frenético e estratégico, e oferecendo um jogo gostoso de ser jogado tanto para novatos quanto para jogadores mais experientes e exigentes.

Battlefield V é, realmente, a experiência definitiva da franquia.



Comentários