Comentários

De uns anos pra cá os jogos eletrônicos deixaram de ser meros brinquedos para entrarem de vez no mundo das super produções.

 


Antes de continuar: Tá precisando comprar cartão pré-pago ( gift card ) para Xbox , PSN, Nintendo ou Garena Free Fire Diamantes? O melhor lugar é na GCM Games, clique aqui e confira!


 

O melhor e mais recente exemplo disso é a franquia Call of Duty, da Activision, que vem arrebatando multidões desde o lançamento de sua primeira versão, em 2003.

Depois do avassalador sucesso de Call of Duty: Black Ops, lançado em novembro de 2010, sendo até então o game mais jogado das redes onlline, a Activision em parceria com a Infinity Ward apresenta Call of Duty: Modern Warfare 3.

Trata-se de uma sequência imediata do antecessor, Call of Duty: Modern Warfare 2, lançado no fim de 2010, que coloca o jogador na pele de vários soldados em missões que representam a terceira guerra mundial.

Logo de cara é possível perceber que o jogo roda no mesmo motor gráfico que vem sendo usando desde Call of Duty 4: Modern Warfare, de 2007. Os menus praticamente não sofreram mudanças desde a primeira versão, dando aquela sensação de “falta de capricho” por parte da desenvolvedora. O problema, claro, não atrapalha a navegação em momento algum.

Estão presentes os modos campanha, onde é possível avançar pela história do game; o multiplayer, que coloca o jogador em arenas online ou em tela dividida (na versão para consoles) em diferentes modos e mapas e finalmente o novo modo Spec Ops, que permite que o jogador realize missões com amigos jogando online.

O modo campanha, como vem acontecendo a um bom tempo (nos FPS em geral), é bastante raso, servindo apenas como uma “desculpa” para ensinar ao jogador as funcionalidades de cada artefato e equipamento. Em muitos pontos é fácil se perder nas idas e vindas da história, deixando bem exposta a falta de atenção com o modo.

A campanha single player também é bastante curta, podendo ser terminada em pouco mais de 5 horas por um jogador de habilidade média. Mesmo com a evolução da técnologia, não é difícil se deparar com inimígos sonolentos, que não enxergam muito bem o inimígo. Os seus companheiros também não estão muito interessados em mostrar trabalho, muitas vezes salientando a ideia de “linearidade” do game.

A jogabilidade de MW3 mantém a essência da série, com comandos que ao longo dos anos tem se tornado “padrão” dos FPS. Mesmo não tendo sofrido mudanças, os controles continuam sólidos e precisos, não deixando a desejar em nenhum momento.

Os gráficos são extremamente bem acabados e cheios de belos efeitos de luz e partículas, mas nem o polimento de primeira esconde as marcas da idade do engine da Activision. Mesmo com o cuidado extremo para tornar tudo bonito e brilhante, algumas textutas deixam a desejar, assim como a modelagem de construções, veículos e até mesmo dos personagens.

Um ponto positivo do “amadurecimento” do engine é a otimização do jogo, que roda bem mesmo em computadores “B” e consoles, que tem o hardware bastante ultrapassado para os dias de hoje. A ação roda em 60FPS sem grandes variações.

O som como de costume, é de primeira, retratando com fidelidade os ruídos das armas, veículos e explosões. Vale a pena investir em um bom fone de ouvido ou um conjunto de caixas de som para aproveitar a imersão que o áudio proporciona durante a guerra.

As partidas online rodam com uma impressionante fluidez, mesmo em conexões mais lentas. O interessante matchmaking filtra as partidas para que você encontre jogadores com ping baixo, tornando ainda mais raras as partidas com algum tipo de lag. Isso também facilita a entrada de jogadores locais.

Os mapas estão mais apertados do que os anteriores, além de terem recebido um tratamento especial para a eliminação de “esconderijos”, que facilitavam a vida dos infames “Campers”.

A fórmula segue a mesma, sem grandes novidades. O segredo é matar o máximo de inimígos em seguida para conseguir os (muitas vezes desonestos) KillStreaks, que são desbloqueados com o progresso do jogador no modo MP.

Call of Duty: Modern Warfare 3 bateu a impressionante marca de 9,3 milhões de cópias vendidas no dia do lançamento. Com isso, o game alcançou o posto de “maior lançamento da história entretenimento”, derrubando gigantes como os filmes das franquias Harry Potter, O Senhor dos Anéis e Avatar.

Hoje, pouco depois do seu lançamento, o game já vendeu mais de US$ bilhões de dolares, batendo a concorrência com muita folga. O jogo também já está no topo dos mais jogados da Xbox Live e Playstation Network.

Se é um grande fã da franquia, ou está procurando um FPS para entrar na onda, CoD: MW3 é um tiro certo para a sua lista de jogos. Mesmo com os problemas na campanha e a falta de inovação, o shooter torna-se artigo quase indispensável para qualquer amante de um bom jogo. Recomendado.

Call of Duty: Modern Warfare 3 foi lançado para PCs, Xbox 360, Playstation 3, Wii e Nintendo DS.



Comentários