Comentários

Há algum tempo, Dragon Quest era uma franquia que só funcionava no Japão. Entretanto, graças ao esforço da Nintendo e Square Enix, a franquia foi se enraizando no ocidente. Hoje, já é possível jogar praticamente todos os jogos da franquia em um console da Nintendo, já que tivemos games lançados para Nintendo DS, 3DS e Switch.

No dia 27 de setembro, o Nintendo Switch recebeu a versão definitiva de Dragon Quest XI: Echoes of an Elusive Age, mas a Square Enix também investiu no passado da série ao lançar os 3 primeiros games da franquia no console. Anteriormente, eles tinham chegado para mobile no ocidente e para PS4 e 3DS no Japão.

Entretanto, muitos devem se lembrar que estes jogos foram lançados no ocidente ainda para NES, na época, chamados de Dragon Warrior I, II e III. Mas, no Nintendo Switch, eles recebem os títulos Dragon Quest I, Dragon Quest II: Luminaries of the Legendary Line e Dragon Quest III: The Seeds of Salvation. Estes jogos foram relançados várias vezes e as versões mobile introduziram gráficos atualizados. E sim, as versões Switch se baseiam na versão mobile.

Basicamente, a Square Enix usou o mesmo port que fizeram para PS4, que também foi baseado na versão mobile. Isto significa que os jogos ainda são os mesmos que os lançados originalmente, mas com diferentes sprites para os personagens e diferentes menus. Você terá uma interface um pouco diferente da que lembrava do NES.

Ok, o problema disso é que apesar dos novos sprites serem bem mais limpos e bonitos, eles meio que destoam do jogo original. Algumas pessoas reclamaram disso na época do lançamento mobile e essas pessoas continuam reclamando disso nos lançamentos para PS4 e Switch. Alguns queriam que o jogo fosse atualizado de 8 bits para 16 bits, mas há quem goste do jeito como está (eu, por exemplo).

Enquanto todos os jogos podem ser aproveitados como aventuras isoladas, eles fazem parte da chamada Erdrick Trilogy, já que envolvem os descendentes de Erdrick. Assim, você pode começar por qualquer um, jogar qualquer um, mas ao jogar os 3, sentirá que eles tem um tipo de conexão.

Dragon Quest I traz o Herói, descendente de Erdrick, que precisa ir em uma aventura para parar o terrível Dragonlord. A história é bem simples, mas tem muita lore no jogo. Dragon Quest II: Luminaries of the Legendary Line traz uma sequência do primeiro jogo, só que acontecendo 100 anos depois. Você é um novo descendente de Erdrick, mas precisa enfrentar uma ameaça que acabou com o período de paz que foi estabelecido no primeiro jogo.

O terceiro game, Dragon Quest III: Seeds of Salvation, é o mais ambicioso e melhor da trilogia. Ele serve como uma prequel dos dois primeiros jogos, já que você joga com o próprio Erdrick. A aventura é maior do que as anteriores e o jogo é simplesmente sensacional.

Como o terceiro jogo é o primeiro na linha cronológica, cabe a você escolher qual a ordem de jogo que vai querer aproveitar. Dragon Quest III é o mais bem recebido da primeira trilogia, então talvez seja melhor guardar o mais aclamado para o final. Ou só jogar ele, caso você queira apenas um.

Há uma melhora de qualidade não apenas na história, mas também no sistema de combate de cada jogo. A série Dragon Quest é conhecida por usar o tradicional formato de batalhas em turnos. Entretanto, os elementos se diferenciam a cada jogo.

Dragon Quest I traz algo que você raramente vê em um RPG: você joga com apenas 1 personagem. A batalha funciona, mas todos preferem uma verdadeira party para controlar. Dragon Quest II traz vários personagens jogáveis, começando a tradição da franquia. Já Dragon Quest III é o primeiro a usar um sistema de classes em toda a série. Isso faz com que o sistema do terceiro jogo também seja o melhor em comparação aos dois primeiros.

Ainda que esses 3 jogos sejam antigos, não há como negar a importância deles para os RPGs que conhecemos. Você pode jogar três dos games mais importantes na história dos JRPGs e conhecer o início de uma franquia de sucesso.

No fim, o port para Nintendo Switch simplesmente parece a versão definitiva desses jogos. No mobile, por exemplo, existia sempre a falta de um controle físico, no PS4, as versões japonesas são boas, mas a portabilidade do Switch ajuda a ter o jogo em mãos e o tamanho reduzido da tela deixa tudo melhor. Para quem vai jogar Dragon Quest XI S: Echoes of an Elusive Age – Definitive Edition, é uma ótima forma de mergulhar neste mundo.

Positivo
  • Estão disponíveis no Nintendo Switch
  • Sprites atualizados
  • Combinam com o controle
Nota 10010
Review | Dragon Quest I, II e III para Nintendo Switch



Comentários