Comentários

Poucos jogos conquistam um espaço tão honrado nas memórias dos jogadores como Final Fantasy VII (e outros seletos títulos). O jogo é citado como um marco para indústria e para o gênero de RPG, desde que foi lançado em 1997.

Originalmente, Final Fantasy VII foi desenvolvido para o Super Nintendo, porém, as coisas mudaram e o game acabou sendo lançado apenas para PlayStation. Desde então, ele foi lançado em diversas plataformas (incluindo PC), mas nunca em um console da Nintendo. Agora, depois de anos, o jogo desembarca no Nintendo Switch, cumprindo o seu destino inicial de ser lançado em uma plataforma da empresa.

Caso você não conheça o jogo (e eu não entendo o motivo), Final Fantasy VII é um game estrelado por Cloud Strife (sério, você não sabe quem é ele?), um mercenário com um passado misterioso que inicia sua jornada trabalhando para a organização AVALANCHE, uma ecoterrorista. Aqui ele é apresentado para Barret e Tifa, que lutam juntos para explodir o reator Shinra em Midgar. Isso leva a uma série de eventos que nos apresentam a um dos vilões mais icônicos da história dos vídeo games, Sephirot (mas esse você conhece, certo?). Para evitar spoilers, podemos dizer que Final Fantasy VII oferece mais de 40 horas de história com personagens cativantes e várias reviravoltas, sendo um dos melhores jogos da franquia, considerados por muitos (incluindo nosso editor, Murilo Oliveira) como o melhor.

O sistema de combate de Final Fantasy VII pode até parecer datado para quem conhece a série a partir do XV, mas ele funciona muito bem para o jogo. Diferente do tradicional sistema de turnos, aqui temos o Active Time Battle, em que cada personagem tem um medidor de tempo que deve ser preenchido para fazer um movimento. Isso funciona para sua equipe e para o inimigo. Logo, a velocidade dos personagens possui um papel bem importante no jogo.

Essas batalhas são ativadas através de encontros aleatórios enquanto você anda pelo mapa. Entretanto, esta versão inclui uma nova mecânica que foi adicionada também na versão de PS4 e na mobile: a habilidade de desligar tais encontros aleatórios. Para isso, basta pressionar os dois analógicos do controle. É óbvio que não dá para terminar o jogo desta maneira, pois você ficará sem nível suficiente para vencer. Ainda assim, é um recurso ótimo que deveria ser implementado em qualquer RPG.

Outra grande novidade é o Battle Boost, que pode ser ativado ao apertar o analógico direito. Isso faz com que você preencha automaticamente seus medidores de HP e MP, além de levar seu medidor de Limit Break ao máximo, permitindo vencer qualquer inimigo. Ok, este é praticamente um modo ‘super fácil’ do jogo, eu não usaria, mas é um recurso que serve pra quem quer apenas seguir a história, sem se preocupar com o leveling.

Final Fantasy VII também conta com os recursos originais, tais como acelerar a velocidade de batalha, texto e mensagens. E pressionando o analógico esquerdo, você pode acelerar tudo isso para uma velocidade triplamente maior. Isso se aplica ao movimento, batalha e texto.

O jogo traz o sistema de Materia, que desempenha um papel muitíssimo importante: ela pode ser usada para imbuir novas skills nos membros da party, summons e muito mais. Ela também é equipada em armaduras e armas, com diferentes slots para Materia. Cada pedaço de Materia pode subir de nível, basta equipar em um item e partir para a batalha. É um dos melhores sistemas de Final Fantasy.

Por fim, é preciso elogiar a trilha sonora e as cutscenes do jogo. São duas grandes estrelas do game, que fazem com que sua jornada seja ainda mais prazerosa.

Veredito:

Final Fantasy VII era um dos jogos mais esperados para Nintendo Switch desde que foi anunciado. Ok, há um hype enorme em cima do lançamento de seu remake para PS4, mas ter a chance de jogar o clássico onde você for, usando a habilidade portátil do Switch, é algo incrível. Praticamente, você pode acompanhar as aventuras de Cloud onde quer que você esteja.

Apesar de não trazer elementos exclusivos para o Nintendo Switch, a versão do jogo traz as melhorias que foram lançadas para outras plataformas e que deixam o game mais acessível. É uma ótima oportunidade de apresentar Final Fantasy VII para alguém que você gosta ou quer introduzir à série.

Final Fantasy VII é um jogo icônico e merece estar na biblioteca de qualquer jogador. Altamente recomendado.



Comentários