Comentários

Nick Sax é um matador de aluguel, ex-policial bêbado e corrupto num mundo sujo e cruel. Em meio ao um serviço que deu errado, uma bala alojada no corpo, a polícia e a máfia em seu encalço, e um assassino de crianças fantasiado de Papai Noel à solta, Nick e seu mundo serão mudados em pleno Natal devido a um cavalinho azul chamado Happy.


Antes de continuar: Participe do nosso grupo de Whatsapp e receba ofertas diárias de Quadrinhos com desconto. Para participar, basta clicar aqui!


 

happy 01
Grant Morrison (Os Invisíveis, Crise Final) dá um toque surreal a uma narrativa que tinha tudo para ser a mais “mundana” possível, mas ele o faz de maneira tão natural que não soa forçado e fica crível ali na história um cavalo azul (que na verdade é um unicórnio) conversando com o protagonista, ainda que isso seja extremamente absurdo. No mais, a trama é uma típica narrativa com policiais corruptos, matadores de aluguel e máfia.

A arte de Darick Robertson (The Boys, Transmetropolitan),é um show a parte, seu traço é limpo, simples e bastante realista e sua narrativa gráfica é bastante competente. Ele, auxiliado pelas cores de Richard P. Clark, ainda consegue fazer de Happy uma coisa surreal e fofa em meio a um mundo tão feio e sujo.
happy 02

Happy! reúne dois grandes nomes dos quadrinhos e por isso, a princípio, pode decepcionar alguns leitores, sobretudo aqueles acostumados com as tramas loucas e cheias de camadas e referências de Grant Morrison. Aqui o enredo é simples e bem diferente daquilo que Morrison comumente faz, lembrando mais os trabalhos de Garth Ennis, outro britânico maluco… Talvez agrade mais a quem já curte esse tipo de temática, uma história policial bastante violenta, com pitadas de sexo e humor negro. Enfim, não é genial e nem vai revolucionar nada, muito pelo contrário, é um dos trabalhos menos pretensiosos da carreira do careca maluco e por isso, talvez não agrade a todos.

happy 03
A edição da Devir vem com capa dura, esboços de personagens, páginas do roteiro, todas as capas e estudos sobre algumas delas.



Comentários