Comentários

Review: Testamos o demo de Forza Motorsport 4


A temporada de lançamentos está aberta e bombando. As desenvolvedoras não estão perdendo tempo, e já deram versões demonstrativas para todos os lançamentos de peso que vem por a, desde FIFA Soccer e Madden NFL até Battlefield.

A Microsoft em parceria com a Turn10 preferiram não ficar de fora e disponibilizaram uma versão demonstrativa da mais nova versão do seu simulador de corridas, Forza Motorsport 4.

Concorrente direto de Gran Turismo desde a geração passada, Forza 4 chega para tomar de vez o trono do aclamado simulador da Sony, que é o queridinho dos fãs do gênero desde a sua primeira versão lançada em 1997 para o Playstation.

Depois de ficar mais de 5 anos em desenvolvimento, Gran Turismo 5 chegou ao Playstation 3 com a promessa de ser o simulador definitivo. O problema é que as diversas falhas do game renderam um caminhão de criticas vindas de jogadores e especialistas, que consideraram o jogo “cru”.

Desde então, o já aguardado Forza Motorsport 4 tornou-se a grande esperança dos corredores virtuais, que esperavam uma versão a altura da premiada terceira edição do game.

A demo de Forza Motorsport 4 foi lançada hoje na Xbox Live. Pesando modestos 1,2GB, o jogador pode dirigir na pista Bernese Alps usando uma das quatro máquinas disponíveis:  Ferrari 599 GTO 2011, Subaru WRX STI 2011, Mercury Cougar 1970, e o sedã Kia Cee’d 2011.

Antes de iniciar a corrida é possível configurar vários aspectos da jogabilidade. Tipo de câmbio, sistema de freios, controle de tração, assistências e várias outras configurações que interferem diretamente na jogabilidade. Também é possível escolher uma das quatro dificuldades padrão, que selecionam automaticamente as melhores configurações, de acordo com a habilidade do jogador.

Já dentro da pista, a câmera padrão do game mostra o interior do veículo. Câmeras externas e frontais também podem ser selecionadas apertando o botão Back (select). A configuração dos botões é exatamente a mesma da versão anterior, tornando a jogabilidade familiar para os veteranos.

Os diferentes carros reagem de maneira singular aos comandos do jogador. O Subaru é o mais fácil de controlar, porém lento e frágil, diferentemente do Cougar 1970, que é muito mais agressivo e desengonçado, apesar de muito mais veloz.

Os controles respondem extremamente bem, permitindo manobras precisas e planejadas. De acordo com a configuração da jogabilidade, o que no inicio seria fácil pode tornar-se um pesadelo para os inexperientes. Opções como câmbio manual e até mesmo uso da embreagem, apesar de proporcionarem uma grande carga de realismo e diversão, podem afastar os corredores mais casuais, frustrados pela grande dificuldade e concentração exigida.

A inteligência artificial parece não ter evoluído muito desde a ultima versão. O problema não chega a atrapalhar a jogatina, mas pode ser frustrante perceber o desequilibrio entre os níveis selecionáveis; forte demais ou fraco demais.

Os gráficos são um capitulo a parte na história do game. Mesmo lembrando um pouco a ultima versão, é impossível não ficar deslumbrado com o visual bonito e complexo do game. Com belos efeitos de luz, partículas e modelagem avançada, é difícil encontrar defeitos na pista, incrivelmente bem desenhada, depois das sessões de captura em montanhas nevadas.

Interior dos veículos retratada com perfeição

Os gráficos são tão polidos, que é raro ver qualquer tipo de serrilhado, mesmo em pequenos detalhes da pista. As texturas dos carros e asfalto são reproduzidas com fidelidade tornando tudo ainda mais belo.

O som também não deixa a desejar, transmitindo com exatidão o rugido das potentes máquinas. Sons de batidas e derrapagens também foram tratados com carinho pela equipe, que prestou atenção em cada mínimo detalhe.

O modo Rivals permite partidas online mesmo com um dos competidores offline. Similar ao sistema AutoLog, da série Need for Speed, o Rivals compara recordes dos pilotos, criando um ranking particular entre os grupos de amigos. Algumas vezes não é tão fácil encontrar competidores online, mas um pouco de insistência pode ajudar.

A integração com o sensor Kinect, que é uma das maiores promessas de Forza 4, infelizmente ficou de fora da demonstração. Ainda não se sabe exatamente como o sensor irá funcionar durante as partidas.

Se Forza Motorsport 3 passou perto de Gran Trismo 5, é melhor a Sony começar a se mexer, por que Forza 4 vem com tudo para abocanhar o título de melhor simulador de corridas. Aproveite para baixar a demo, testar o jogo e deixar a sua opinião.

Forza 4 será lançado no dia 11 de outubro exclusivamente para Xbox 360.



Comentários