Comentários

Seguindo o lançamento que ocorreu ano passado, The Division 2 meio que experimenta um segundo lançamento através da expansão Warlords of New York, trazendo novo fôlego para o jogo e mais conteúdo para os jogadores.

A história é centrada em derrubar um agente renegado, chamado Aaron Keener, servindo como conclusão para uma história que começou lá no primeiro game. As missões são interessantes e fazem os jogadores voltarem às ruas de Nova York.

Dito isto, o jogo traz diversas mudanças para vários sistemas e adiciona muito conteúdo na forma de uma nova campanha, dedicada aos jogadores que devem apreciar todas as novidades. Depois de completar a principal campanha do jogo e alcançar o tier 5, os jogadores serão capazes de pegar um helicóptero da capital para Nova York, partindo para caçar Aaron Keener. Esta versão de Nova York é bem diferente daquela nevada do primeiro jogo. A cidade foi devastada por um furacão e está em estado de ruína. A seção jogável de Mahattan está em quarentena como uma Dark Zone. Assim, as ruas estão mais desoladas e sem esperança do que nunca.

Como qualquer conteúdo de The Division, a experiência é o que vale aqui. O jogo nunca esteve tão bonito, tem muitos detalhes e a natureza urbana está sensacional, trazendo um ar parecido com o que vemos em filmes pós-apocalípticsos. Os cidadãos de Nova York estão apenas tentnado sobreviver e o fato pode ser sentido em cada esquina.

Como você pode imaginar, o game está cheio de novas missões, mas elas são um pouco diferentes. Warlords of New York flerta com a ideia de uma campanha não linear, apresentando um mapa ainda cheio de ‘névoa’ e chamando sua atenção para os 4 tenentes. Enquanto você segue o caminho, uma barra de progressão se enche, mostrando o quão próximo você está de Keener. Cada pista te levará a uma questline relacionada a um dos tenentes de Keener, culminando em uma batalha de boss que te dá um novo gadget.

As missões do jogo são bem típicas de The Division, trazendo hordas de inimigos que populam grandes salões. As batalhas de bosses são excelentes, um grande destaque é a luta com Theo Parnell.

Cada tenente de Keener traz um gadget único e ao vencê-los, você desbloqueia esses gadgets para uso pessoal. Existem 4 novos gadgets para ganhar no jogo, alguns mais interessantes do que os outros.

O ponto focal desta expansão é a história: Aaron Keener é o vilão central desde o priemiro jogo e esta expansão conclui sua história. O jogo então começa a criar situações para mostrar que os agentes renegados podem ter um ponto interessante e que, talvez, a moral seja mais cinza do que preto e branco.

No gameplay há boas mudanças: algumas são feitas diretamente nos atributos da gear e temos a implemtação das skill tiers, que é uma forma muito mais intuitiva de aumentar skills. Existem toneladas de outras mudanças, tais como gear talents que agora são disponíveis apenas em mochilas e armaduras, fazendo com que construir um personagem fique ainda mais fácil. Além dessas mudanças, temos um inventário muito mais simples de entender. A dark zone também foi remodelada e ficou bem melhor, sem deixar de mencionar a adição da dificuldade lendária para missões na capital.

As novidades devem manter os jogadores veteranos ocupados por um bom tempo e podemos esperar ainda mais conteúdo em breve. No fim, The Division 2: Warlords of New York é mais Division do que nunca. Praticamente, podemos dizer que a expansão é realmente uma extensão da campanha principal. O endgame foi totalmente remodelado, trazendo incentivo para que os jogadores continuem lutando. Vale a pena.



Comentários