Comentários

Quando falo sobre Guerras que abalaram os super-heróis eu não quero dizer daquelas que aconteceram somente nas páginas das revistas em quadrinhos como a Guerra Kree-Skrull, ou a Guerra Civil, ou a Guerra Infinita, mas quero falar sobre guerras que aconteceram no mundo real e que tiveram tanto impacto na realidade que transbordaram também para as páginas dos quadrinhos. Vamos falar da Marvel porque ela é a editora das Guerras. Quando falarmos da DC Comics, vamos falar das Crises, afinal, ela é a editora das Crises, certinho? 


Antes de continuar: Participe do nosso grupo de Whatsapp e receba ofertas diárias de Quadrinhos com desconto. Para participar, basta clicar aqui!


1. SEGUNDA GUERRA MUNDIAL

Foi por causa dela que tudo começou não só no Universo Marvel, que nos legou o Capitão América, Bucky e o Caveira Vermelha, mas também para todos o quadrinhos de super-heróis. Nuca esse tipo de HQ vendeu tanto quanto na Segunda Guerra Mundial, em que alguma revistas vendiam dois milhões de exemplares por mês. A verdade é que a Segunda Guerra Mundial impactou tanto a Marvel Comics está aí para ser vista por todos: o Capitão América retornou vinte anos depois, saído da animação suspensa em que havia sido posto durante a Segunda Guerra Mundial e se tornando o primeiro retcon da história dos quadrinhos de super-heróis. 

2. GUERRA DO VIETNÃ

A primeira e única Guerra em que os Estados Unidos perderam rendeu um legado violento de desilusão e cinismo para um país que era tão ufanista e se vangloriava de suas façanhas. Assim, a partir dos anos 1970, os heróis começavam a também se tornarem mais violentos, cínicos e desiludidos. O Justiceiro é o primeiro exemplo pois ele é um ex-combatente do Vietnã que não conseguia encontrar na família a mesma motivação que na guerra. Wolverine é outro exemplo de herói que tem cinismo e não possui escrúpulos para matar, mas como um ronin, gosta de manter a sua própria honra. 

3. GUERRA FRIA

A Guerra Fria é assim chamada por ser aquela guerra que nunca acontecia e, por consequência nunca aconteceu, entre as duas maiores potências mundiais da época. De um lado, os Estados Unidos, país líder do capitalismo e, de outro a URSS, líder do bloco socialista. Essa Guerra se revelava nada fria nas páginas dos quadrinhos de super-heróis. na Marvel, o Invencível Homem de Ferro enfrentava os russos Dínamo Escarlate e Viúva Negra, por exemplo. E o Incrível Hulk debatia-se contra o Abominável. Até mesmo o Homem-Aranha tinha inimigos russos como o Rino, Kraven e o Camaleão. 

4. GUERRA DO IRAQUE

A Guerra do Iraque rendeu um dos momentos mais tenebrosos da história recente: a queda das torres gêmeas do World Trade Center no dia 11 de setembro de 2001. Esse acontecimento também serviu como um divisor de águas na Marvel, que publicou uma revista do Homem-Aranha com uma capa preta, que mostrava homicidas como o Doutor Destino, o Rei do Crime e Magneto chorando por causa das vítimas das duas torres. Também na esteira deste evento vieram as histórias do Capitão América, em que ele promulgava uma “guerra ao terror”, revelando, inclusive, sua identidade secreta no processo.

5. GUERRA DO GOLFO

A Guerra do Golfo envolvia os países do Iraque, sob o controle do ditador Saddam Hussein e do Kuwait, aliado dos Estados Unidos, na disputa por campos de exploração petrolífera. A Guerra do Golfo foi a primeira das guerras que foram totalmente televisionadas e, por isso, provocou um grande impacto na população. Era óbvio que parte dessa tensão seria traduzida também para a mídia dos quadrinhos. Em um crossover escrito por Peter David, o Hulk e o X-Factor se enfrentavam por estarem defendendo lados opostos na Guerra do Golfo, o X-Factor, sob mando dos EUA, defendia o Kuwait e o Hulk, por seus próprios princípios, defendia o Iraque. 



Comentários