Comentários

O mais recente crossover da Marvel chegou ao fim e mudou o deus do trovão para sempre.


Antes de continuar: Participe do nosso grupo de Whatsapp e receba ofertas diárias de Quadrinhos com desconto. Para participar, basta clicar aqui!


Para quem não acompanha os quadrinhos, Thor passou por uns maus bocados nos últimos anos. Em 2014, graças à saga Pecado Original, ele perdeu a habilidade de segurar o Mjolnir. Logo depois, ele perdeu seu braço esquerdo. Essas derrotas abriram espaço para que Jane Foster levantasse o martelo e ganhasse o manto de Thor. E mesmo quando ela deixou o papel, o Mjolnir foi destruído no coração do sol, fazendo com que Thor começasse um verdadeiro arsenal de Martelos para substituir a arma lendária.

Em Guerra dos Reinos, saga escrita por Jason Aaron, o homem responsável pelo título do Thor nos últimos anos (e também conhecida por ser uma das mais aclamadas fases do herói), Thor vai até o sol, esperando encontrar poder e sabedoria. Ele tenta seguir o caminho de seu pai e dá seu olho em sacrifício. Acontece que a Árvore do Mundo é enraizada no sol. Depois de receber o sacrifício de Thor, ela imbui o herói com a sabedoria necessária para acabar a guerra.

Não dá para ter certeza de como isso afeta Thor de fato. Logo depois, Thor ataca Malekith, que capturou Odin e Freyja e criou uma encanto de barreira que previne a entrada de todos, exceto a de Thor. Felizmente, existe mais de um Thor na jogada: assim como em outras edições escritas por Jason Aaron, vemos Thor unir forças com sua versão mais jovem e com sua versão mais velha. Até mesmo Jane FOster entra na luta, agora com o poder do Mjolnir do Universo Ultimate.

Juntos, os 4 Thors atacam Malekith, que está usando a Espada que guarda o poder do deus simbionte, Knull. Ainda assim, Thor consegue vencer o inimigo, graças ao novo poder adquirido com a Árvore do Mundo. Ele combina o poder da tempestade com o calor do sol, reforjando o Mjolnir e recriando sua maior arma. Isso dá a ele o poder necessário para vencer Malekith.

Com a vitória de Thor, Odin reconhece seu filho como o verdadeiro Rei de Asgard. Agora, sem um olho, usando o Mjolnir e se tornando rei, Thor se aproxima daquela versão grisalha e solitária do futuro. Não há dúvidas de que veremos um melhor desenvolvimento disso na futura minissérie do personagem, chamada King Thor, que servirá como o capítulo final da saga de Jason Aaron com o personagem.



Comentários