Comentários

Desde que Martin Scorsese deu sua opinião sobre os filmes de super-heróis, citando em particular os da Marvel, chamando-os de “parques temáticos” e declarando que “não são cinema”, muita gente da indústria cinematográfica também resolveu se manifestar.

Uma dessas pessoas foi outro aclamado cineasta, Francis Ford Coppola. Porém, Coppola foi ainda mais radical, chamando todo o gênero de “filmes desprezíveis”.

Mas agora, em uma nova entrevista com o Deadline, o diretor resolveu esclarecer esse comentário, alegando ter sido mal interpretado. De acordo com Coppola, o termo “desprezível” não era direcionado para os filmes de super-heróis, e sim para todos os filmes que colocam uma comercialização acima da arte.

“Pessoalmente, não gosto da ideia de franquia, aquela noção de que você pode repetir essencialmente o mesmo filme para obter ganhos financeiros. Em outras palavras, não gosto dessa abordagem de ‘fórmula’.

Sinto que essa abordagem é adotada para reduzir o risco econômico de filmes e eu considero que esse ‘fator de risco’ é justamente o elemento que faz com que filmes sejam ótimos. Além disso, o filme-fórmula atrai a maioria dos recursos disponíveis, deixando pouco para produções mais ousadas, reduzindo a diversidade.

De certa forma, acho que o cinema é como comida; certamente você pode adicionar coisas para torná-lo tentador, saboroso e agradável, mas também deve ser nutritivo para se qualificar como comida de verdade.”

Além disso, Coppola pediu que o Deadline colocasse a sua declaração completa, para deixar claro a quem dirigiu o termo “desprezível”. Na situação específica, o diretor falava sobre qualquer filme, independente do gênero, que esteja visando apenas lucro, sem qualquer esforço.

“O cinema real traz algo, um presente maravilhoso para a sociedade. Não basta fazer dinheiro e enriquecer pessoas. Isso é desprezível. Então, Martin foi gentil quando disse que não é cinema, pois ele não disse que é desprezível, e isso é o que acabei de fazer.”



Comentários