Comentários

O Mercado Nacional de RPG em 2016 – Lançamentos, Pré-vendas e Financiamentos

Como apresentado na matéria com os lançamentos, pré-vendas e financiamentos que aconteceram no mercado nacional de RPGs em 2015, o ano passado foi um período de grande atividade neste hobby que explora a interpretação e a criação conjunta de histórias.

Foram mais de 30 títulos, entre livros básicos e suplementos – sem contar as aventuras -, que apareceram no ano passado, com a maior parte desta movimentação ficando a cargo da New Order, Pensamento Coletivo, Retropunk e Jambô. A Devir, por muito tempo a principal editora de RPG do Brasil e detentora de títulos de peso como GURPS, D&D e Mundo das Trevas, publicou um livro, o aclamado Pathfinder. Outras editoras e estúdios menores também tiveram publicações no ano passado.

Agora, este texto apresenta e lista os lançamentos, pré-vendas e financiamentos que ocorreram – e ocorrerão – em 2016. Por estar sendo escrito durante o ano corrente, é possível trazer as novas informações tão logo elas sejam divulgadas pelas editoras e manter os RPGistas constantemente atualizados sobre as publicações nacionais.

Essa medida também permite que os dados conseguidos sejam melhor avaliados, tanto devido ao tempo maior disponível para se trabalhar em cima do material, quanto por uma maior facilidade de apuração, o que possibilitará uma análise mais cuidadosa do panorama nacional dos RPGs em 2016.

Abaixo, segue a lista dos livros que estão movimentando o cenário RPGístico nacional em 2016. Lembrando que aqui não se incluem apenas os lançamentos, mas também pré-vendas, financiamentos, e relançamentos.

Lista atualizada 27/02/17

Bestiário de Pathfinder

O Bestiário é um complemento essencial para o livro básico de RPG de Pathfinder, destinado a garantir que o mestre terá adversários — e aliados inusitados — à altura dos seus jogadores.

Entre dragões cuspidores de fogo, vampiros sugadores de sangue, demônios malignos, lobisomens metamorfos, goblins sádicos, gigantes imensos, o bestiário contém de mais de 350 criaturas diferentes, diversas variantes para modificar criaturas, tabelas de encontros, novos companheiros animais para personagens e regras completas para a criação de oponentes balanceados.

Lançado em dezembro de 2016 pela Devir, o Bestiário Pathfinder tem 328 páginas, e pode ser adquirido por 120 reais.

Histórias do Brasil

Histórias do Brasil é um RPG com proposta de poder ser usado facilmente para fins educativos e aplicado em salas de aula para dinâmicas de classe e outras práticas. Voltado para o uso do jogo para a educação, os capítulos não trazem apenas regras, mas também capítulos dedicados a explicar o que é RPG, como funciona o jogo, como ele pode ser usado em escolas e a importância de sua aplicação na educação. Se atendo ao tema, o jogo também conta com introdução a campanhas prontas a serem jogadas, usando temáticas do nosso país em diversas fases, além de uma cronologia do Brasil com os principais conflitos históricos do país.

Para jogar Histórias do Brasil é necessário apenas um dado de seis lados, lápis, borracha e uma fotocópia da ficha de personagem que está dentro do livro. As regras foram criadas com a proposta de facilitar o rápido andamento do jogo e dos testes, pois o foco é ter uma partida de RPG dinâmica dentro de sala de aula, tanto para professores quanto para os alunos narrarem.

Histórias do Brasil é de autoria de Neemia Guimarães e o projeto foi realizado no Kickante. Iniciado em dezembro, precisava de 18.000 para ser bem sucedido, contudo, ao término do projeto, acabou arrecadando apenas R$ 1920,00. Na época do financiamento, era possível adquirir o livro em versão física por R$ 60,00.

 

7º Mar – 2ª Edição

Lançado pela primeira vez no exterior em 1999, 7º Mar é um RPG de Capa e Espada situado num paralelo à Europa de 1668 e inspirado principalmente nas obras de Dumas como os Três Mosqueteiros e Conde de Monte Cristo e também no livro/filme A Noiva Prometida.  Apesar de ter feito certo sucesso na época, o jogo nunca foi trazido ao Brasil. No entanto, em 2016 o autor John Wick realizou um financiamento coletivo através do Kickstarter, acabando por arrecadar mais de 1 milhão e 300 mil dólares, mais do que qualquer outro RPG de mesa até a data. A versão brasileira foi anunciada poucos meses depois, também

Em Théa, o mundo do jogo, nações como Castilhe, Avalon, Montaigne e Vodacce, entre outras, substituem países conhecidos como Espanha, Inglaterra, França e Itália. No entanto, Théa não é apenas uma representação direta da Terra, mas sim uma espécie de prima próxima, com suas semelhanças para criar paralelos entre as culturas do século XVII, mas também toda sorte de características únicas para criar um mundo com intriga, fantasia, aventura e feitiçaria. Théa é casa de mosqueteiros, bucaneiros e corsários, mas também de bruxaria antiga e civilizações perdidas, além de segredos que se ocultam nas sombras e monstros que se escondem à vista de todos.

A proposta de 7º Mar é apresentar um jogo de capa e espada ao um estilo bastante heroico, com personagens realizando ações ousadas, sagazes e talvez um pouco inconsequentes em um ritmo cinematográfico à lá Piratas do Caribe. O jogo utiliza dados de 10 lados e as jogadas são feitas somando um dos atributos à perícia apropriada. Cada conjunto de dados que forme 10 ou mais é considerado uma Aposta, e elas são utilizadas para realizar ações e combater durante o jogo. O combate em 7º Mar pode ser bem diferente de outros sistemas. Nele, a cada turno todos os participantes heróis e vilões jogam os seus dados e agem conforme as suas Apostas, realizando alternadamente vários feitos até que as Apostas se esgotem. O estilo busca trazer agilidade e dramaticidade para o jogo, apresentando também regras para pressionar os personagens  com tarefas que precisam ser resolvidas em meio ao combate.

7º Mar foi viabilizado pela New Order Editora através de um projeto no Catarse. O livro terá formato A4, papel couche 90 gramas, interior totalmente colorido, com cerca de 320 páginas. Sua capa terá verniz total e será capa dura. Durante o financiamento, podia ser adquirido por 130 reais. O projeto precisava de 40.000 para ser bem sucedido, mas acabou superando a estimativa e arrecadou 268% deste valor. liberando como meta extra diversas aventuras, um suplemento, deck de vilões, deck de heróis e deck da sorte, e também o escudo do mestre.

A previsão de entrega do livro é junho de 2017.

Guia de Classes

“Guia de Classes” visa ajudar os jogadores e mestres a compreender melhor as classes tradicionais dos rpgs de fantasia — clérigos, guerreiros, ladrões e magos — e a criar personagens que fogem do lugar comum sem descaracterizar as classes. Eles foi feito para o sistema “Old Dragon”, mas seus conselhos serão úteis para a maioria dos jogadores de Rpg de fantasia.

Escrito por Rafael Beltrame, colaborador de longa data da Redbox e criador do Moostache, ilustrado por Leo Lima e David Lucena, e contando com capa de Dan Ramos, “Guia de Classes” traz explicações sobre o papel de cada classe, formas de interpretação, novas regras, equipamentos diferentes, formas novas de customizar personagens, npcs prontos e uma aventura exclusiva para cada classe, desenvolvidas para apenas um jogador e um Mestre.

Guia de Classes é da Moostache Books. Graças ao sucesso da campanha no Catarse, a versão física será publicada em capa dura e virá acompanhada de dois pdfs: “Devotos & Fanáticos – um guia Old Dragon para os clérigos”, e “A Garra do Urso”, que descreve melhor a região onde as aventuras desse livro se situam. À época do financiamento, o livro físico podia ser adquirido por 30 reais. O lançamento da versão digital é estimado para março, enquanto a versão física deve ficar para abril.

Mundo dos Deuses

Considerado o principal suplemento de Tormenta RPG em 2016, Mundo dos Deuses busca expandir o cenário de Arton ao trazer descrições dos 20 planos de existência superiores da cosmologia de Arton. Entre os locais apresentados, estão Drashantyr. O mundo ressurgido de Kallyadranoch. Magika. O mundo místico de Wynna. Al-Gazara. O mundo louco de Nimb. Skerry. O mundo em ruínas de Tillian. Nivenciuén. Antes o paradisíaco mundo élfico, agora um inferno dominado pela Tormenta.

A obra também traz novas regras e opções para mestres e jogadores. Entre estas novas características estão incluídas novas raças e classes próprias da cosmologia de artoniana, voltadas para possíveis campanhas extraplanares. Podem ser encontradas também novas perícias, magias e itens mágicos próprios para este tipo de aventura, além de novos monstros nativos de outros mundos – ou capazes de viajar entre eles – para serem lançados contra os jogadores.

Mundo dos Deuses foi lançado em dezembro de 2016 pela Jambô Editora, possui 208 páginas formato brochura, é de autoria de Álvaro Freitas, Bruno Schlatter e Leonel Domingos. A obra pode ser adquirida por R$ 69,90 em sua versão física e R$ 19,90 em sua versão digital.

Na mesma época também foi lançado o Escudo do Mestre de Tormenta RPG edição de luxo. O item traz tabelas com nomes aleatórios das principais raças, regras completas dos pontos de ação, resumo das regras de combate, de desafios ambientais, além de pontos de experiência e tabelas de tesouros.

O escudo do mestre edição de luxo pode ser adquirido por R$ 35,00.

Manual do Defensor


Escrito por Bruno “BURP” Schlatter, Manual do Defensor é suplemento para jogadores de 3D&T, que visa dar novas possibilidades de criação de personagens e campanhas, aumentando a complexidade do jogo.

Para tanto, o livro traz novas regras, novas visões e versões acerca de personagens, campanhas e mundos clássicos e informações, dicas e discussões de como usar os atributos, vantagens, desvantagens e perícias de uma forma totalmente nova.

O Manual do Defensor foi lançado pela Jambô, mede 26 x 17 cm e tem 96 páginas, com capa brochura. Sua versão física pode ser adquirida por 27,90 reais.

Dragon Age RPG

Baseado no jogo eletrônico da BioWare, Dragon Age RPG busca levar para as mesas o mundo de Thedas com seus guerreiros, magos, ladinos e Guardiões Cinzentos. Com um sistema dinâmico e voltado para uma ação cinematográfica, o jogo usa regras exclusivas para mestres e jogadores utilizarem os cenários demonstrados nos três jogos principais da série, Ferelden, Kirkwall e Orlais. Além de poderem se inteirar mais sobre a cultura, geografia e modos de vida das diferentes raças do jogo.

O jogo possui apenas três classes, como no jogo eletrônico, Guerreiro, Mago e Ladino, no entanto, conforme o personagem vai progredindo nos níveis (que vai do 1 ao 20, como Dungeons & Dragons). Para aumentar a personalização, também existem os Históricos, que falam um pouco sobre as origens do personagem e também influenciam em suas características. Conforme os personagens vão progredindo em sua classe base, eles podem escolher especializações como Guerreiro Arcano, Templário e Bardo.

O sistema do jogo se baseia no uso de apenas 3 dados, e tem sido muito elogiado. Um dos dados jogados precisa ser de cor diferente dos demais. Sempre que dois números iguais são rolados nos dados – independente de quais sejam eles – o personagem tem direito a uma Façanha, um tipo de ação escolhida pelo jogador que pode ter vários efeitos, como, em combate, derrubar o inimigo, recarregar rapidamente suas armas, atacar duas vezes e etc.

O livro também oferece diversas estruturas de campanha, para que mestre e jogadores possam decidir que tipo de história e épocas lhes interessa mais. Seguindo as indicações do livro, é possível jogar durante o Quinto Flagelo, a Guerra Magos-Templários, ou durante o surgimento da Inquisição. O título também apresenta regras para criação de Organizações, Batalhas em Massa e Inscrição de Runas, entre outros.

Dragon Age RPG foi lançado em novembro de 2016 pela editora Jambô, conta com 336, capa dura e interior colorido. A obra pode ser adquirida por R$ 149,00 em sua versão física e 39,90 como digital.

Rastro de Cthulhu

Tendo arrecadado vários prémios ao longo dos anos, Rastros de Cthulhu é um RPG com foco investigativo criado por Kenneth Hite. No jogo, os jogadores encarnam investigadores mortais e, em geral, de vida breve que acabam precisando solucionar mistérios envolvendo os terrores dos mitos de Cthulhu. O jogo se ambienta por volta de 1930, usando temas e estilos da época para compor o seu clima. No entanto, o mundo não é idêntico à realidade, pois em cantos sombrios e esquecidos, terrores incompreensíveis espreitam e são cultuados por humanos lunáticos ou sedentos de poder. Locais criados por H.P Lovecraft como a cidade de Arkham também estão presentes.

Em tema e clima, o cenário de Rastro de Cthulhu funciona da mesma forma que o famoso Chamado de Cthulhu. Seu maior diferencial reside no uso do sistema GUMSHOE, criado por Robin Laws. A proposta do GUMSHOE é de ser completamente projetado para RPGs investigativos, retirando a possibilidade dos jogadores falharem em alguma jogada e não acharem uma pista importante. O foco do sistema não é em encontrar as pistas, pois não existem testes para tal, bastando ter a perícia completa e interpretar a investigação, mas sim em interpretar as pistas encontradas. Outra grande diferença em relação ao Chamado de Cthulhu é a própria forma como o jogo propõe a estrutura das histórias e o seu desenlace.

O sistema também apresenta dois modos de história, o Purista e o Pulp. Enquanto o primeiro se foca em aventuras puramente investigativas, onde qualquer confronto pode matar os personagens e a loucura não é apenas algo possível, mas algo provável, o Pulp oferece um estilo um pouco mais aventuresco, com os jogadores podendo enfrentar cultistas e sendo um pouco mais resistentes.

A obra já havia sido publicada no Brasil, sendo um dos primeiros lançamentos da Retropunk. Foram vendidas por volta de 500 unidades do livro em capa dura antes da editora começar a comercializar uma versão com um acabamento menos luxuoso. No fim de 2016, a empresa se propôs a fazer uma nova tiragem da edição em capa dura em um financiamento coletivo que também tinha como objetivo viabilizar futuros suplementos e campanhas de Rastro de Cthulhu.

Rastro de Cthulhu possui 248 páginas, capa dura, colorido em 4 cores em sépia e estava sendo viabilizado pela Retropunk através de financiamento coletivo no Cartarse. O projeto precisava de 45.000 para ser bem sucedido, e alcançou 112% de sua meta. O livro poderia ser adquirido por 120 reais durante o financiamento.

Icons – Edição Assembled

Icons é um RPG com temática de super-heróis cuja proposta é ser rápido e divertido. Desenvolvido por Steven Kenson (Mutantes e Malfeitores), seu principal objetivo é fazer os jogadores se sentirem dentro de uma história em quadrinhos, podendo criar suas próprias equipes de super-heróis. Além de prover meios para a criação de heróis e vilões, o jogo também possui mecânicas para os jogadores criarem o universo onde as campanhas estarão ambientadas .

O jogo se baseia fortemente nas regras de Fate, buscando ser simples, mas expansível. A criação dos heróis é rápida e depende apenas de algumas poucas jogadas de dados e decisões por parte do jogador. Além disso, são escolhidos adjetivos para determinar a qualidade do personagem em certas tarefas. Icons também inclui habilidades e poderes, geração aleatória de aventuras e exemplos de vilões e bandidos para serem enfrentados, tudo buscando ser um sistema narrativista de RPG.

A Edição Assembled, que é a que está sendo lançada pela Redbox, reúne o material da primeira edição e também alguns suplementos. Contendo também arte remasterizada e exclusiva da edição brasileira.

Icons – Edição Assembled tem capa dura, 236 páginas coloridas e pode ser adquirido por R$ 89,90 na loja da Redbox. A pré-venda do livro começou no dia 26/10 e inicialmente a previsão do início das entregas ficou marcada para 07/12, sendo depois alterada para dia 20/12 e então para o mês de janeiro.

Filhos do Éden: Universo Expandido

Este título não é exatamente um livro de RPG. Filhos do Éden: Universo Expandido, traz um guia para o mundo que ambienta a tetralogia do autor brasileiro de fantasia Eduardo Spohr. Em suas obras, o autor apresenta uma mitologia inspirada em anjos, demônios, e outras histórias de cunho semelhante. No entanto, além de trazer toda a cronologia, história de fundo e cosmologia de seus romances, o livro também traz regras diversas regras para aqueles que quiserem jogar partidas de RPG ambientados no mundo de Sporh, acabando por funcionar como um livro de cenário.

A obra utiliza regras de D&D 5ª Edição, trazendo novas magias, um bestiário com criaturas que aparecem nos romances, itens mágicos e um capítulo destinado para falar sobre como utilizar a mitologia de Filhos do Éden em campanhas de RPG.

Filhos do Éden: Universo Expandido é de autoria de Eduardo Spohr e possui ilustrações de André Ramos. O livro possui 256 páginas coloridas e capa dura, podendo ser comprado em livrarias por um preço de capa de R$ 99,90.

Guia de Raças

Mais um suplemento para o sistema brasileiro Old Dragon. O livro trará uma lista com várias raças fantásticas, apresentadas com suas estatísticas de jogo, cultura, história e modos, para que possam ser utilizadas por personagens jogadores. O suplemento também conta com especializações específicas de certas raças. Ao fim do livro haverá regras sobre como criar raças exclusivas.

Segundo os anúncios, a obra conterá as seguintes raças: Atlante, Autokthon, Bugber, Bullywug, Cambion, Centauro, Drow, Duergar, Gnoll, Gnomo, Goblin,  Hobgoblin, Homem Lagarto, Homem Serpente, Hokwar, Kobold, Mantis, Meio-dragão, Meio-anão, Meio-orc, Minotauro, Muskin, Nefilin, Ogro, Orc, Troglodita, Varko, Volda, Variações da raça anã e variações da raça élfica.

O Guia de Raças é publicação da Redbox e conta com a autoria de Rafael Beltrame e Igor Sartorato, possui 108 páginas, interior preto e branco e foi lançado através de pré-venda que se iniciou em outubro, já tendo sido entregue para os compradores.

Cidade Neon

Este RPG nacional é de autoria de Álvaro Botelho e tem como inspiração histórias Pulp e Noir. Um jogo urbano por essência, a proposta dele é que sejam contadas histórias de mistério e intriga repletas de coisas estranhas. Cidade Neon busca misturar o estranho e o fantástico com toda a estética Noir, apresentando um cenário em que sonhos, pesadelos, lendas urbanas, crimes e coisas bizarras acontecem ao mesmo tempo que a vida normal e angustiante dos cidadãos comuns.

Trazendo um sistema simples, Cidade Neon sequer possui atributos como normalmente ocorrem em outros RPGs. Os personagens são basicamente definidos pelos seus “Clichês”, palavras arquetípicas que tanto o descrevem quanto anunciam as suas capacidades. Os Clichês podem ser criados pelo mestre e pelos jogadores, mas o livro dá como exemplo desde Policial e Músico até Alienígena e Mutante. Também existem os Ganchos, um com benefícios para uma situação específica e outro com penalidades e o Conceito, que também é descrito com uma palavra, normalmente um adjetivo e pode ser usado tanto para ajudar ou atrapalhar o personagem.

O livro também traz uma sessão para o Narrador, dando dicas do que se espera de alguém que está à frente de um jogo de Cidade Neon. Nele são explicados o papel de um Narrador de RPG, explicado a configuração de Campanhas e Vilões do jogo, além de trazer algumas sugestões de aventuras, como por exemplo: Um suposto fantasma entrou em contato com uma médium mandando-a procurar um dos personagens para avisá-lo que chegou a hora de pagar por um antigo pecado.

Cidade Neon tem 52 páginas em tamanho A5 e pode ser adquirido por 27,99 no Clube dos Autores. A versão digital da obra está disponibilizada na internet e é gratuita.

Revista Dragão Brasil

Após quase dez anos desde sua última edição, a revista Dragão Brasil, publicação mais famosa do RPG nacional, retornou em formato digital. A equipe da revista voltou ao seu núcleo original, Marcelo Cassaro, Rogério Saladino e J.M. Trevisan, contanto com o reforço de Gustavo Brauner, Leonel Caldela e Guilherme Dei Svaldi.

A nova encarnação da Dragão Brasil retorna usando a numeração antiga, 113 (contando a 112 que foi o especial da adaptação de Stranger Things). As novas edições possuem um mínimo de 50 páginas e possuem uma configuração bastante semelhante à da revista física, com colunas e matérias semelhantes, além das tirinhas do Sir Holland, O Bravo e dos paladinos na sessão de cartas. As saudosas Lendas Lendárias também estão de volta.

A Revista Dragão Brasil está se valendo de um projeto no site Apoia-se, onde, diferente do Catarse, os apoiadores colaboram com um valor mensal, como se fosse uma inscrição ou uma assinatura. A Dragão Brasil acabou arrecadando mais de R$ 20.000 em seu primeiro mês, valor que foi subindo até alcançar R$ 32243 em 26/02/2017, o que garantiu várias metas para melhorar a qualidade da revista e trazer novos materiais como quadrinhos, novas colunas e até mesmo um podcast.

O projeto da Dragão Brasil ainda está no Apoia-se. Para contribuir com a revista e ainda garantir as edições, basta colaborar com R$ 7 mensais. Existem outros valores, cada um trazendo recompensas diferentes. O maior deles, Conselheiro-Mor, garante também um wallpaper da revista, uma edição com comentários dos editores e acesso ao grupo exclusivo da Dragão Brasil no Facebook, onde é possível ajudar a decidir o conteúdo de edições futuras.

SIJOR

Projeto multimida da produtora Art4Fun, SIJOR é um sistema de RPG nacional que busca poder ser utilizado em diferentes tipos de ambientações. Semelhante à proposta do GURPS, SIJOR significa Sistema de Jogo de Representação e, segundo a Art4Fun, o objetivo  durante o desenvolvimento de SIJOR, foi buscar desenvolver um jogo que levasse ao jogador a sensação de se ter em mãos um sistema balanceado, justo, completo e sem complicações para que todos pudessem vivenciar e aproveitar um sistema multi-função, pronto para ser adaptado a qualquer universo desejado, onde do mundo da fantasia clássica aos combates espaciais em um universo futurista, todos possam usar um único sistema, com regras universais.

Com o lançamento do sistema, a Art4Fun pretendia trazer suplementos para complementarem o SIJOR, com o primeiro dessa série de suplementos seendo Chialquizir – Raças e Espécies, seguido de Manual de armas, para em seguida vir Chialquizir – Mundo Fantástico, complementado por Mitologia e Religião de Chialquizir e também o Manual de transporte e animais para finalmente o SIJOR – Grécia. A ideia do multimídia pretendida pelo jogo foi logo explicitada na campanha no kickante. Além de haver uma trilha sonora oficial para o RPG, o jogo para PCs SIJOR Kingdom, que apresenta a continuação da campanha iniciada no livro básico de SIJOR, e também SIJOR Stronghold, jogo digital focado no gerenciamento de uma fortaleza.

SIJOR – Sistema de Jogo de Representação, projeto da Art4Fun, precisava de R$ 10.000 em seu projeto no Kickante, no entanto, ao fim do prazo, em 20/10/16 conseguiu arrecadar apenas R$ 285,00. À época do financiamento, a versão impressa do SIJOR poderia ser conseguida através da meta de R$ 220,00, que também trazia escudo do mestre, dados personalizados e mapas de combate, além de uma camisa e uma caneca.

 

Mighty Blade 3ª Edição

Contando com autoria de Thiago Junges, Mighty Blade é um jogo nacional lançado em 2004 através de meios digitais e que foi utilizado em foruns e chats de RPG online. Essencialmente medieval, o Mighty Blade se inspira em jogos eletrônicos para o seu sistema e se propõe à agilidade e a simplicidade, buscando ser ideal para iniciantes que tiveram pouco ou nenhum contato com o hobby.

O jogo utiliza dados comuns de 6 lados e normalmente requer que sejam lançados de um a três deles. Para que o personagem seja bem sucedido é necessário que o resultado dos dados somado ao seu atributo ultrapasse uma dificuldade pré-estabelecida que pode ir de 7 à mais de 18. Apesar de não ter nenhum cenário necessariamente ambientado a ele, o jogo oferece 14 raças jogáveis, algumas bem diferentes do comum para RPGs medievais, como os Grotons e os Hamelins. Como D&D, o jogo se baseia em classes, trazendo 12 delas, que são bem próximas ao padrão medieval fantástico, embora com algumas novidades.

Mighty Blade 3ª Edição terá por volta de 176 páginas em formato 16x23cm. Durante o financiamento, foi possível adquirir por R$ 32,00 o livro, a entrega deve ocorrer em março de 2017. A versão beta de Mighty Blade 3ª Edição já está gratuitamente disponível em formato digital.

Foices e Feitiços

Mais uma produção nacional, Foices e Feitiços se propõe a ser um RPG de fantasia medieval de cenário genérico cujo foco é a simplicidade e a rapidez de se começar a partida. O jogo é inspirado principalmente em lançamentos bem antigos, se voltando para os primórdios do RPG, usando como fonte o antiguíssimo Chainmail, o D&D original e também o retroclone francês Epées et Sorcellerie.

Foices e Feitiços é o segundo projeto de Marcelo Paschoalin, que também lançou o projeto – bem sucedido – de Atisi RPG. Com uma meta inicial de apenas 750 reais, o jogo conseguiu 344% do necessário para o seu financiamento, somando 2587 reais ao todo.

O livro possui por volta de 112 páginas e pode ser adquirido por R$ 30,00 reais durante o seu financiamento, que terminou no dia 31/10. A versão digital de Foices e Feitiços já foi liberada e está disponível para ser baixada. Futuramente, o livro será vendido na página do autor no site Letra Impressa.

Deloyal

De publicação brasileira, Deloyal é um RPG com bastante foco na narrativa cuja proposta é trazer um jogo onde os jogadores são membros de uma resistência lutando para expulsar os invasores de sua terra. A ambientação padrão se passa na cidade Deloyal, inspirada na Paris dominada por forças nazistas durante a Segunda Guerra, no entanto, antes da campanha começar as regras do jogo guiam mestre e jogadores a construírem seu próprio cenário, sempre se atendo à premissa principal.

Deloyal coloca a colaboração entre mestre e jogador acima de tudo e prezando a criação de uma boa ficção compartilhada sobre mecânicas rígidas de jogo. Os desafios que os personagens irão enfrentar, os alicerces que estabelecem os invasores como governantes da terra roubada são definidos pelos jogadores e o livro auxilia neste processo de criação. Nem tudo é decidido pelos jogadores, mas eles criam o esqueleto no qual o mestre se baseará para dar rumo à campanha. Ao final de tudo, a depender de como foi o progresso dos jogadores, eles podem triunfar em expulsar os Invasores em diversos graus de sucesso e fracasso.

O sistema de Deloyal, o L’Aventure, é bem simples e propõe-se a trazer o clima de um jogo ao estilo pulp. As regras de resolução de conflito buscam serem sucintas e dramáticas, sem se preocupar muito com simulações, mas sim com o que seria interessante para a trama. No jogo, cada personagem possui um Conceito, que são baseados em arquétipos clássicos de histórias pulp. Eles servem principalmente como um guia para qual o papel do personagem entre os Libertadores, mas também fornece uma perícia que estará no valor mais alto alcançado no jogo, o tipo de tarefa que o personagem irá se sobressair aos demais. Os números não são tão importantes em Deloyal quanto a construção da história, e o RPG se preocupa em auxiliar na criação do personagem no que toca a sua história, personalidade, traços distintos e como se relaciona com a cidade e os outros Libertadores.

Deloyal é criação de Rafão Araújo e Jorge Valpaços, do Lampião Game Studio em parceria com a Pensamento Coletivo,  contando também com ilustrações de Bruno Prosaiko. O livro terá por volta de 200 páginas e foi lançado através de financiamento coletivo no Catarse. No projeto, o jogo poderia ser adquirido por R$ 45,00, sendo R$60,00 o seu preço final. O livro começou a ser entregue em fevereiro de 2017.

Senhores da Guerra

Este título se trata de uma obra nacional, um suplemento para o já consolidado Old Dragon, da Redbox Editora. Escrito por Rodolfo Maximiano, Senhores da Guerra traz uma proposta diferenciada para o sistema padrão, saindo do campo da fantasia medieval clássica e tentando se voltar para uma abordagem mais baixa-fantasia, fantasia sombria e um pouco mais histórica.

Bastante inspirado nas obras do autor Bernard Cornwell (de As Crônicas de Artur e As Crônicas Saxônicas), Senhores da Guerra busca trazer o clima comum aos livros do autor, que costuma tratar de épocas medievais realistas, sujas e com muito pouco glamour. Ambientado na Inglaterra pós-Roma, quando a região não era de fato uma nação unificada, mas uma série de reinos em conflito uns com os outros e com povos invasores, o livro traz não apenas novas regras para adequar Old Dragon ao clima, mas também informações sobre a vida cotidiana, estética, higiene nobreza e guerras da época.

Apesar de buscar ser mais realista, a magia não é deixada de lado, e o livro fala sobre conhecimento druídico, clérigos e magia para cenários de baixa fantasia. O livro também inclui elementos para campanhas de guerra, tratando sobre como funcionaria o ritmo e o tom, sem contar as aventuras, combates mais mortais (contando com infecção de ferimentos) e regras para as clássicas paredes de escudos.

Senhores da Guerra entrou em pré-venda no dia 15/09, terá 90 páginas e pode ser adquirido por 39,90 no site da Redbox Editora. A entrega do livro ocorreu em 2016.

Shadow of the Demon Lord

Mesclando os gêneros do horror e da fantasia, Shadow of the Demon Lord é um RPG medieval onde os personagens vivem em um mundo que está à iminência de ser completamente destruído por uma criatura demoníaca. O jogo lida com a proximidade deste apocalipse, e o mundo está sendo completamente infestado por demônios, cultistas, pragas, mortos-vivos, com a civilização já deteriorada, restando apenas as ruínas de um grande reino. Todo novo horror representa a aproximação do Demon Lord, e isto pode surgir na forma de fenômenos naturais destrutivos, fome, peste ou hordas de criaturas maléficas.

As regras de Shadow of the Demon Lord se assemelham bastante a jogos d20, mas em uma forma simplificada, utilizando apenas o dado de vinte lados e um dado de seis lados. O padrão para qualquer ação é o lançamento do d20, mas diferentes condições benéficas e maléficas podem acrescentar d6s como bônus ou penalidade na jogada. Como D&D, os personagens também são delimitados em classes, no entanto, em Shadow of the Demon Lord eles começam no nível 0 com classes genéricas, pessoas normais que, sem ser por suas próprias vontades, acabaram tendo que lidar com a nova realidade do mundo. Conforme vão progredindo, os personagens vão se especializando e ganhando habilidades únicas de uma gama muito grande de opções. Devido ao clima de horror, o jogo também trás mecânicas de insanidade e corrupção.

Shadow of the Demon Lord foi publicado no exterior em 2015, e seu financiamento coletivo começou em setembro de 2016 no Brasil. O livro está sendo publicado pela Pensamento Coletivo e terá por volta de 272 páginas, capa dura e folhas coloridas. No financiamento ele pode ser adquirido por 120,00, mas por 666,00 é possível garantir o livro básico do jogo e todo os seus suplementos conforme eles forem sendo lançados. A entrega do livro básico está programada para Março de 2017

trpg-aventuras4-capa

Só Aventuras Vol. 4

Continuando a linha de suplementos que trazem aventuras para o mestre utilizar com os jogadores, o Só Aventuras Vol. 4 é um livro para Tormenta RPG. No entanto o legado deste nome é bem mais antigo que a encarnação atual do sistema de Tormenta e do próprio cenário. Há quase 20 anos, a Só Aventuras era uma revista de bancas, “aparentada” da famosa Dragão Brasil e trazia conteúdo para diversos sistemas e cenários, incluindo aventuras solo e matérias com novas opções de jogo. Com o fim da revista mensal, anos depois o nome Só Aventuras passou a ser usados em suplementos para 3D&T, já se focando em material para o cenário Tormenta. Foi apenas em 2013 que o modelo atual da Só Aventuras, veio a existir.

O volume 4 desta série traz quatro aventuras prontas, material escrito por Davide Di Benedetto, Alvaro Freitas, Bruno Schlatter e também por Rogério Saladino, um dos criados do cenário Tormenta. Ar Molhado se passa em um ambiente submerso e é voltado para heróis iniciantes, em Casamento Sombrio os personagens precisam ajudar em um casamento secreto no templo de Tenebra, já Entre o Céu e a Terra se passa além dos céus de Arton, enquanto O Espelho de Karahmir lida com um artefato divino que pode alterar até mesmo as almas dos personages dos jogadores.

Só Aventuras Vol. 4 foi lançado no dia 27/07, possui 64 páginas, páginas em preto e branco e pode ser adquirido por 29,90 no site da Editora Jambô.

psirun

Psy*Run

Psy*Run é um jogo de caráter narrativo escrito por Meguey Baker e lançado originalmente em 2012. No RPG, os personagens, chamados de fugitivos, acordam logo após um acidente, sem memória do que aconteceu anteriormente. Todos eles possuem poderes psíquicos e durante a partida irão aos poucos retomando detalhes de suas memórias perdidas e segredos dos acontecimentos que levaram à situação atual.

O jogo é curto, precisando de apenas uma ou três sessões para a história se completar. Psy*Run pode ser jogado várias vezes, sempre seguindo a premissa de se iniciar com um acidente, e os jogadores terem que encontrar respostas para os questionamentos e lapsos de memórias dos personagens. No entanto, eles não têm paz nessa busca, porque os Fugitivos precisam a todo instante fugir dos Perseguidores, NPCs que querem reaver os Fugitivos. Sempre que se tenta descobrir mais sobre a história, os jogadores arriscam deixar uma trilha que seus Perseguidores podem seguir.

O sistema do jogo é simples e dinâmico. Psy*Run usa dados de seis faces e cada ação necessita de um mínimo de quatro dados e um máximo de por volta de sete. Sempre que se faz uma jogada de dados o jogador precisa atribuir cada um deles para a ação, os riscos da ação, sua fuga e suas lembranças. Podendo ser bem sucedido no que queria fazer, mas acabando por dar uma vantagem aos seus perseguidores, ou talvez falhando no seu intento mas recuperando parte de sua memória perdida. O próprio jogo fornece guias de como realizar as jogadas de diferentes tipos de ações.

Psy*Run possui 64 páginas e foi lançado através de pré-venda no site da Secular Games. A venda começou no dia 07/09 e foi até 20 do mesmo mês. Por 34,90 é possível adquirir o livro com frete grátis e a versão em pdf já pode ser baixada no momento da compra. Os livros já foram entregues.

ghaluni-rpg

Ghaluni RPG

Mais uma obra de criação nacional, Ghaluni RPG se propõe a ser um sistema genérico para se jogar histórias de fantasia ambientadas em diversos cenários, do medieval ao cyberpunk. A proposta dele é ser intuitivo e dinâmico, abstraindo situações e simulações, mas buscando oferecer uma boa experiência RPGística.

O jogo se declara com, principalmente, gamista, apresentando classes, poderes e habilidades que vão crescendo e se acumulando conforme o personagem se aprimora, além de trazer equipamentos e itens para promover customização e possibilitar combinações vantajosas. O jogo, não entanto, também traz opções declaradas como mais narrativistas, que possibilitam os jogadores influenciarem diretamente na ambientação e na história.

Segundo o projeto do financiamento de Ghaluni, um de seus maiores diferenciais é o sistema de AB (Ação Base). O projeto explica que todo turno os personagens recebem uma quantia de AB baseada em suas características e nível. Durante o seu turno, o personagem pode agir até que tenha gastado todas as suas AB, e portanto, realizar certa quantidade de ações diferentes e combinadas à sua escolha.

Ghaluni RPG teria por volta de 200 páginas e poderia ser adquirido em seu financiamento no Catarse por R$ 35,00. O projeto precisava de R$ 8,000 para ser bem sucedido, no entanto, até o dia de seu término em 03/11/2016 só havia levantado R$ 2103, com 26 apoios. No momento, o autor está trabalhando em mudanças para o jogo, que pode voltar a buscar apoio para publicação.

Veridiana-2

Veridiana

Desenvolvido por Alan Silva, autor de Cachorros Samurais, Veridiana é um jogo de contar histórias que está esteve em financiamento coletivo na plataforma Catarse.

Em Veridiana, os jogadores assumem o papel de criaturas que estão exiladas de sua casa na Grande Árvore. todos estão acometidos por uma doença que faz com que os seus cabelos – a fonte da vida desta raça – comece a cair aos poucos. Impedidos de retornar ao seu lar por barreiras invisíveis, só resta aos personagens viajarem para Veridiana, local fabuloso onde, dizem, é possível se curar de qualquer mazela.

O jogo baseia-se na leitura compartilhada do manual do jogo, que além de fornecer as regras para os usos dos dados e gerenciamento dos personagens, também conta parte da história do jogo. Voltado para 4 pessoas, o jogo não possui a figura de um “mestre” e tem uma duração de 45 minutos, alternando entre a narração fornecida pelo livro e os detalhes que os jogadores devem criar em conjunto sobre seus personagens. Durante a história, a quantidade de dados possuída por cada personagem vai se alterando, representando a sua força vital. Caso um personagem acabe sem dados, todo o seu cabelo caiu e ele perece antes de alcançar Veridiana.

O financiamento coletivo não envolveu apenas o lançamento de Veridiana, mas também uma nova tiragem de Cachorros Samurais. A meta, de 4.000 reais, no entanto, não foi alcançada, arrecadando apenas 12% do necessário. A menor das recompensas, de 10 reais, fornecia o pdf dos jogos, enquanto com 70 reais é possível levar tanto a versão impressa de Veridiana quanto a de Cachorros Samurais.

shadowrun-caixa-basica

Shadowrun: Caixa Básica

Segundo RPG cyberpunk publicado pela New Order Editora, Shadowrun é um clássico do gênero. O jogo já possui 27 anos desde a sua primeira edição e foi publicado no Brasil pela Editora Devir quando ainda estava em sua segunda edição. A versão publicada pela New Order se trata da 5ª Edição de Shadowrun, lançada no exterior em 2013. Já havia bastante indício de que este RPG seria publicado, afinal, a editora já havia anunciado o jogo de cartas Shadowrun: Crossfire, mas em setembro foi confirmado que o RPG também seria lançado.

Em Shadowrun, a magia se encontra com a alta tecnologia. No ano de 2012 aconteceu o Despertar e o mundo passou para o novo ciclo de magia, onde diversas criaturas místicas reapareceram, a magia voltou a ser acessível aos humanos e diversas pessoas ao redor do mundo sofreram metamorfoses para se tornarem membros de raças fantásticas como elfos, orcs e anões. No entanto, isto não é tudo. Estando no ano de 2078 a habilidade mágica agora disponível para a humanidade se mistura e se choca com tecnologias avançadissimas como implantes biônicos, realidade aumentada sempre frequente e, claro, a matrix, onde tecnautas projetam seus avatares para hackearem o mundo.

Usando o punk do cyberpunk, esta ambientação futurista é completamente high-tech e low-life. Megacorporações dominam o mundo e afogam governos enquanto um cidadão sortudo trabalha quase todas as horas livres de seu dia para ter uma casa e comida. Os de menos sorte vivem na sarjeta, na violência e na criminalidade. Vitimados por policiais corruptos, ghouls sedentos de carne meta-humana ou corporações chefiadas por dragões que não ligam para onde estão jogando o seu lixo. Em meio a essa situação, existem aqueles que fazem da constante briga de interesses o seu ganha pão. Mercenários contratados para realizarem missões por trás das sombras. Os Shadowrunners.

A caixa básica de Shadowrun estará sendo publicada pela New Order Editora. Ainda não divulgaram completamente o seu conteúdo, mas deve seguir a edição americana, que traz um livreto de 26 páginas falando sobre o cenário do jogo, outro de 32 com resumo das regras e uma aventura curta, 5 fichas de personagem, o histórico aprofundado de um dos personagens, com direito a uma aventura solo, doze dados, e os primeiros capítulos de um romance ambientado em Shadowrun.

Shadowrun: Caixa Básica começou a ser vendido no dia 02/09 e está prometido para ser entregue no World RPG Fest 2016, que ocorrerá no dia 17/09 e foi enviada para quem não compareceu ao evento a partir do dia 22. O produto pode ser adquirido por 99,00 reais no site da New Order, após a pré-venda passando para 120,00 reais.

bukatsu

Bukatsu!

Bukatsu! é um cenário nacional para o sistema Fate Acelerado, lançados pela Solar – Jogos e Entretenimento. Esta ambientação apresenta o Colégio Itazura, escola aos moldes japoneses e baseada em diversos estilos de anime, onde supostamente pode acontecer de tudo, não importando o quão estranha e amalucada seja a coisa.
O cenário é voltado principalmente para o alívio cômico, e entre os estudantes e professores do lugar podem se encontrar grupos sentai, mechas, fantasmas, androides, youkais e outros tipos de esquizitices. Aventuras frenéticas e cheias de ação e comédia são o foco da ambientação, que conta com novas regras sobre arquétipos de mangá, grêmios estudantis e alivio cômico, entre outras.

Bukatsu! é de autoria de Igor Moreno, que também escreveu Birl: Planeta Monstro, Space Dragon e Chopstick. A arte da obra fica por conta de Mario Nakano. Bukatsu! foi viabilizado através do financiamento coletivo de Fate em 2014, sendo uma das metas estendidas do projeto. No momento, o livro pode ser adquirido em formato digital por 4,90.

Birl Planeta monstro

Birl: Planeta Monstro

Criado inicialmente como uma brincadeira, Birl: Planeta Monstro, teve seu conjunto de regras divulgado em primeiro de Julho no Facebook e acabou atraindo bastante movimento, sendo compartilhado várias vezes na rede social. Baseado no famoso meme do Ex-BBB Bambam, as regras simples e cômicas do jogo agradaram e os autores Igor Moreno e Bruno Prosaiko resolveram fazer um financiamento coletivo simples para aumentar um pouco o escopo do jogo e fazer um livro digital.

No jogo, Birl é o planeta da raça alienígena dos frangoides, seres super-inteligentes e super-malignos que atraíram os monstrões de todo universo para o Planeta Monstro, lugar cuja radiotividade deixa todos muito agressivos e também faz surgir mutações bizarras. Os frangoides planejam esperar que os monstrões sofram mutações para então colher o DNA e vender no mercado negro como anabolizantes. O sistema possui 4 monstributos, Bomba, Instinto, Raiva e Lábia, tendo valor de 1 a 4. Além disto, cada personagem deve ter algumas frases de efeito como “QUE NUM VAI DAR O QUE, P*RRA!?”

A meta de Birl: Planeta Monstro era de apenas 100 reais, e o projeto conseguiu 2497% deste valor, o que teoricamente o torna, proporcionalmente, o RPG mais bem sucedido do Brasil. Por 10 reais era possível adquirir o pdf do jogo e por 50, além do pdf, ser usado como inspiração para um personagem do RPG. O projeto não tinha pretensão de lançar uma versão impressa de Birl. Devido às metas estipuladas, o jogo receberá 92 monstros extas, uma aventura escrita por Leandro Pug do RPG Notícias, outra pelo Lampião Game Studios e o Igor Moreno irá entrar numa academia.

terra-devastada-capa

Terra Devastada 2ª Edição

Com sua primeira edição tendo sido lançada em 2011, Terra Devastada é um RPG nacional que traz um cenário com o já clássico Apocalipse Zumbi e se propõe a ser um jogo todo voltado para este gênero que se tornou bastante famoso nos últimos anos. 

Criado por John Bogéa, o jogo segue o estilo mais voltado ao simples e ao narrativo, que tem sido bastante comum em RPGs indies e outras publicações modernas. Terra Devastada não se propõe a ser uma apanhado de regras para se jogar em apocalipse zumbis modernos, o RPG traz o seu próprio cenário e, nesta segunda edição do jogo, vai sendo apresentado no livro na forma de um documentário que reúne depoimentos dos poucos sobreviventes da antiga civilização. E tudo parece apontar para a Cerberus Lab, uma multinacional farmaceutica, à semelhança da Umbrella Corporation de Resident Evil, que fez pesquisas de aplicação militar em convênio com as forças armadas.

Com regras simples e enxutas, o sistema de Terra Devastada lembra um pouco o de Fate. Os personagens não possuem atributos, tendo apenas uma lista de Características decididas pelo jogador, que podem ou não ajudar em suas tarefas. Além disto, as Condições – determinadas por uma breve descrição, como as Características – também influenciam nos testes. As jogadas utilizam uma parada de dados que necessita de pelo menos dois resultados iguais para conferirem um sucesso. O jogo pode ser jogado com dados normais de seis lados, mas a Retropunk também vende dados personalizados para o RPG.

Terra Devastada 2ª Edição, que terá 150 páginas, foi viabilizado por financiamento coletivo da Retropunk Editora em 09/08/2016, tendo alcançado 441% de sua meta (um total de 26.500). As metas extras do financiamento liberaram melhoras para a qualidade do livro, um cenário para campanha impresso, regras para Savage Worlds em PDF, escudo do mestre e dados personalizados. O PDF do livro foi prometido para 30 dias após o término do financiamento, e o livro impresso para setembro, já tendo sido entregue. A versão impressa de Terra Devastada pôde ser adquirida por 65,00 reais no financiamento.

capa-imperio-esmeralda

Império Esmeralda

O segundo suplemento do jogo a ser anunciado no Brasil, a publicação de Império Esmeralda segue a ordem de seu lançamento no exterior, e se propõe a trazer informações sobre o cenário de Lenda dos Cinco Anéis que não puderam estar no livro básico.

Esta obra é principalmente focada no cenário. No entanto, em um aspecto específico dele. O ponto principal do livro não é falar sobre a história do mundo ou os principais acontecimentos e batalhas, mas sim descrever e elaborar os costumes, culturas e cotidianos que existem no Império Esmeralda. É considerado um dos suplementos mais importantes – se não o mais importante – pois como Lenda dos Cinco Anéis se inspira em culturas orientais, são poucos os mestres e jogadores que chegam ao jogo com certo entendimento das diferenças com a Europa medieval.

O livro possui capítulos sobre costumes, religião, política, estrutura social, artes e comércio, entre outros que seguem a mesma linha, trazendo bastante material sobre o funcionamento da vida em Rokugan e também sobre as tradições dos samurais e do povo comum, coisa muito importante para o cenário, cujo tema da tradição é muito importante para o jogo. Muitos dos capítulos dedicam páginas para comentar as diferenças entre cada clã quanto ao aspecto que está sendo discutido, o que ajuda ao mestre a criar imersão e saber como é o cotidiano de cada um dos Clãs Maiores de Rokugan. Apesar de cada capítulo trazer novas regras para o RPG, elas nem de longe são o foco, e não compõe nem mesmo 10% do seu conteúdo.

Império Esmeralda, suplemento de Lenda dos Cinco Anéis, entrou em pré-venda no dia 10/07 pela New Order e poder ser adquirido na loja digital da editora por 115,00 reais, com apenas o livro, 200,00 com um mapa de pano de Rokugan e 330,00 com o mapa e uma caixa exclusiva, que já é tradição da editora.

atisi-capa-frente-426x445

Atisi RPG

De autoria de Marcelo Paschoalin, Atisi RPG é um jogo nacional que utiliza o conjunto de regras de Barbarians of Lemuria numa ambientação original baseada no antigo Egíto.

Baseado na literatura da Espada e Feitiçaria, o cenário busca apresentar uma ambientação cujas sociedades vivem na Idade do Bronze. Sendo seu foco as inspirações egípcias, os povos de Atisi em sua maioria possuem pele bronzeada ou negra, com a exceções da presença pequena de culturas baseadas nos povos vikings. Em Atisi não existem castelos, nem reis, nem grandes exércitos ou governo, é uma terra onde pessoas poderosas o suficiente tentam dominar seus semelhantes.

Apesar do sistema de Barbarians of Lemuria não ter um livro básico publicado no Brasil, Atisi RPG fornece todo o conjunto de regras necessários para se utilizar o sistema. Barbarians of Lemuria se propõe à simplicidade e á intuitividade, além de buscar emular o clima e os eventos condizentes com uma história de Espada e Feitiçaria.

Segundo o projeto de Atisi, o livro já está completo, e a página do jogo no Catarse oferece uma versão resumida da obra com 22 duas páginas que fornece uma aventura para se testar o sistema. Atisi será um livro de 120 páginas, com miolo preto-e-branco e virá em um formato 18×27 cm. Foi possível adquirir a versão digital do livro por 15 reais em seu financiamento coletivo, já o livro impresso ficou por 30 reais.

O projeto de financiamento de Atisi RPG começou em junho e terminou em 01/07/2016, arrecadando R$ 3815,00 ultrapassando a sua meta de R$ 2500,00. O início do envio dos livros começou em agosto e segundo Marcelo Paschoalin, todas edições do financiamento já foram entregues.

Atisi RPG agora pode ser adquirido por 44,00 reais no site da Letra Impressa, onde também consta outros livros do autor. No início do outubro, outro rpg de Marcelo Paschoalin, Foices e Feitiços, deve estar iniciando o seu financiamento coletivo.

capa_web

RPG Caracterização

Obra independente de sistema ou cenário, RPG Caracterização foi financiado em 2015 através do Catarse e teve seu projeto realizado pelo site RPG Notícias em parceria com a editora Pensamento Coletivo.

Ao invés de propor regras ou cenários, como a quase totalidade das publicações RPGísticas brasileiras em 2015 e 2016, RPG Caracterização busca trazer artigos que tratam de auxiliar mestres e jogadores a criarem personagens interessantes e bem construídos do ponto de vista de sua história e psicológico, além de trazer sugestões para a interpretação. Em suma, segundo a proposta do livro, o objetivo e fomentar a criação de personagens melhores.

O livro traz 10 artigos, cada um abordando um tema diferente dentro do espectro da caracterização. Os autores dos textos, todos brasileiros, possuem vários anos de experiência rpgística e participam já há algum tempo em produções dentro da cena brasileira do hobbie, seja com traduções, blogs, publicações ou grupos de jogo pelo Twitch.

Segundo o projeto no Catarse, os artigos presentes no livro são:

RPG e psiquiatria, por Livia von Sucro; uma proposta humanística e corajosa de transposição desta característica tão humana para as mesas de jogo.
Background de personagens: diversão e técnica, por Eva Morissey; trata da elaboração dos antecedentes de um personagem.
Não é fácil ser verde, por Stephan Martins; discorre sobre racismo fantástico.
Machismo na mesa, por Annita Wright; discute machismo em mesa e em jogo.
Rolando diversidade, por Ixa Passacoca; aborda a construção de mundos fantásticos mais diversos.
Interpretando personagens, por Vinicius Alvim; compõe de um modelo de interpretação.
Refluff/reskin, por Phill Souza; ensina como usar as mesmas estatísticas mecânicas para conceitos diferentes.
Arquétipos de personagem, por Luciana d’Anunciação; apresenta o uso de arquétipos jungianos na construção de personagens.
Transmutação de atributos, por Leandro Pugliesi; um diálogo sobre o uso das características mecânicas de um personagem para a construção não-mecânica do mesmo.
Escolha agir diferente, por Thiago Rosa; explora os limites dos cânones pessoais de cada personagem para que não comprometam a diversão do grupo como um todo.

RPG Caracterização foi viabilizado em 2015 através de um projeto no Catarse, tendo arrecado 9.455 reais em uma meta de 7.000 reais. O livro entrou em pré-venda na loja da Pensamento Coletivo em setembro e começou a ser entregue em Agosto. A edição conta com 80 páginas e  ilustrações de Heitor Amatsu e capa de Bernardo Wall.

cover-1

Mutant: Ano Zero

Pertencente a uma série iniciada a mais de 30 anos, Mutant: Ano Zero renova e atualiza a série Mutant, lançada pela editora sueca Target Games. No Brasil, o jogo foi publicado pela Pensamento Coletivo.

Em Mutant: Ano Zero, os jogadores interpretam personagens pertencentes a uma comunidade de mutantes que sobreviveu ao apocalipse. Mas os personagens não são meros lobos solitários neste mundo desolado, parte do Povo, eles precisam conviver com os seus companheiros da Arca, e ajudar no desenvolvimento e proteção desta pequena comunidade mutante. A sobrevivência é difícil neste mundo destruído e repleto de ameaças, mas existe esperanças. Lendas falam sobre a existência de um lugar que pode oferecer segurança e salvação, o Éden, um lugar onde supostamente os mutantes estarão em segurança.

No jogo, existem dois ambientes principais por onde os personagens irão transitar. O primeiro deles é a Arca, a comunidade de mutantes que tem suas bases criadas pelos jogadores no início do jogo e cujo desenvolvimento acontece durante as campanhas. Na Arca os jogadores terão de lidar com intrigas, mutantes rivais, conselhos para decidir o futuro da comunidade e perigos vindos da Zona. Sendo a Zona todo o território externo e hostil, obrigatoriamente detalhado por um mapa, e onde os jogadores terão de embrenhar para conseguirem comida, água e artefatos da civilização dos Antigos. De sistema simples, Mutant utiliza paradas de dados onde basta conseguir um único 6 nos dados para ser bem sucedido na ação. Em caso de falha é possível forçar a jogada e re-jogar os dados, mas nessa situação, a cada 1 resultante, o personagem sofre consequências físicas, mentais ou seu equipamento pode ser danificado.

Mutant: Ano Zero terá 268 páginas coloridas, capa dura e pode ser adquirido em pré-venda por R$ 135,00 junto à sua versão digital. A versão digital do livro ainda não está finalizada, mas metade da obra, que corresponde à sessão do Jogador, já está disponível para quem adquirir Mutant na pré-venda. Também é possível adquirir apenas a versão digital, por R$ 25,00 na pré-venda e dados customizados para o jogo, por R$ 30,00 na pré-venda. A pré-venda de Mutant: Ano Zero começou no dia 30 de Maio, o pdf do livro completo foi entregue no início de julho, enquanto a versão foi entregue em agosto.

ipadkuro

Kuro

O primeiro RPG cyberpunk a ser publicado no Brasil após vários anos, Kuro, desenvolvido pela Le Septième Cercle e publicado no país pela New Order Editora, não se limita a ambientação de ficção científica, mas também mistura o gênero ao terror japonês.

Este jogo que mistura gêneros se passa no Japão futurista de 2046, ano em que algo sombrio retornou ao país. Um esforço internacional fez com que o japão fosse completamente bloqueado para o resto do mundo, uma grande quarentena envolvendo um país inteiro. Com este acontecimento, os espíritos despertaram, e os personagens dos jogadores, todos presos no país, precisam lidar com a tecnologia misturada ao horror e ao animismo. No cenário, isoladas na modernidade dos implantes e grandes corporações da cidade de Shin-Edo, as pessoas estão começando a ficar desesperadas. Apagões constantes afetam a cidade, devido ao bloqueio, começam a faltar recursos e até mesmo espaço. Além disto, eventos sobrenaturais e surgimentos de fantasmas são cada vez mais frequentes, o que tem levado pânico à população de Shin-Edo. A situação levou ao surgimento de novos cultos e religiões, além da Occultech, que mistura shintoismo á alta tecnologia cyberpunk.

Seguindo a tendência dos RPGs modernos, o sistema de Kuro busca a simplicidade e ao mesmo tempo auxiliar no clima de sua temática. O jogo utiliza uma parada de dados baseada nas características relevantes para a situação, e soma-se os valores dos dados, que sempre são d6. Dados que resultem em 6 são jogados novamente, no entanto, um resultado 4 (shi, me japonês, que também significa morte) não é somado. A perícia relevante para a ação não acrescenta novos dados, mas é somada ao resultado total. A criação de personagens também preza pela simplicidade, orientando o jogador a escolher um conceito, que vai desde schoolgirl à detetive.

Kuro terá por volta de 204 páginas, capa dura, e será impresso em tamanho A4 e em papel couchê 90. O livro pode ser adquirido na pré-venda em três modalidades. Por 115,00 reais, é possível adquirir a versão física do livro. Outro pacote, de 230,00 reais, inclui um mapa de pano de Shin-Edo, 8 dados personalizados e uma dicebag. Também existe a versão da caixa de luxo, já tradicional da New Order, que sai por 390,00 e inclui a caixa personalizada e acolchoada e uma camisa temática de Kuro, além dos itens dos outros pacotes.

10494681_572529526193403_5579472016079955092_n

Numenera

De autoria de Monte Cook e ganhador do prêmio de melhor jogo no ENnie Award, Numenera é um RPG que mistura fantasia e ficção científica no planeta Terra de bilhões de anos no futuro.

Ambientado no chamado Nono Mundo, Numenera é bastante focado em explorar o desconhecido e na descoberta das estranhezas e maravilhas que foram deixados pelas grandes civilizações do passado. No cenário, os oito mundos anteriores foram épocas e civilizações que duraram por milênios e que, em sua glória, conseguiam feitos magníficos como viajar através das estrelas, conversar à distância, destruir cidades inteiras e outras coisas ainda mais estranhas. A maior parte deste conhecimento se perdeu, e o Nono Mundo vive uma situação semelhante a uma era medieval fantástica, no entanto uma grande quantidade de tecnologias antigas ainda existem, artefatos espalhados pelo mundo que mal são compreendidos pelos habitantes do Nono Mundo. Inspirados na frase de Arthur C. Clarke em que se diz que “qualquer tecnologia suficientemente avançada é indistinguível de magia”, artefatos que se valem de coisas como magnetismo, nanorobôs, eletricidade e aplicações da física quântica são normalmente encaradas como mágicos ou divinos neste cenário.

Para este RPG foi criado o sistema Cypher System, que preza pela narrativa e simplicidade, contando com apenas 3 atributos para os personagens – Intelecto, Velocidade e Força – que também funcionam como pontos de vida e vão diminuindo e aumentando conforme os jogadores vão realizando ações dentro do RPG. Incentivando a exploração, descoberta e boas ideias, neste jogo não se ganha experiência derrotando inimigos, mas sim encontrando novos lugares, artefatos ou permitindo que o mestre crie um contratempo para o personagem. Além de, claro, os Cyphers, itens de apenas um uso que, em Numera, costumam ser dispositivos antigos das civilizações que já passaram e podem trazer toda a sorte de habilidades temporárias para o personagem.

Além do livro básico de Numenera, o financiamento coletivo viabilizou a publicação do escudo do mestre, os livros de Artefatos e Bugigangas, Coleção de Cifras, Guia do Jogador e o Bestiário do Nono Mundo, além de diversas aventuras.

O livro básico de Numenera tem 410 e foi viabilizado através de financiamento coletivo pela New Order Editora tanto para formato físico quanto digital. Sua campanha no Catarse foi finalizada em 07/01/2015 com 198% da meta básica e o livro começou a ser entregue em 23/04/16 para os financiadores, além de estar disponível na loja da editora. Também foi lançado o mini-suplemento Amor e Sexo no Nono Mundo.

capaquiagoranow

Inimigos do Império

O primeiro suplemento de Lenda dos Cinco Anéis a ser lançado no Brasil, Inimigos do Império funciona como uma espécie de bestiário, trazendo informações e estatísticas de diversos onis, espíritos, bandidos, mortos-vivos e outros tipos de ameaças para os samurais de Rokugan.

Apesar do paralelo óbvio com o Manual dos Monstros de D&D, Inimigos do Império vai além de simplesmente enumerar uma série de inimigos para os jogadores. Cada capítulo do livro é focado em um tipo diferente de criatura, adversário ou organização e em geral a maior parte do conteúdo se dedica a explicar sua história, conceito e funcionamento. Servindo, portanto, como um complemento para a história do mundo que é apresentada no livro básico.

O livro também traz muito conteúdo para personagens dos jogadores, como vantagens, desvantagens e magias novas. Mas a maior parte do material é realmente voltada para o mestre, e as informações sobre o mundo de Lenda dos Cinco Anéis e a história do cenário acrescentam bastante ao que é mostrado no livro básico.

Inimigos do Império possuirá cerca de  290 páginas e até a publicação desta matéria ainda não foi lançado, sua pré-venda foi realizada no fim de 2015 pela New Order Editora e o livro começou a ser entregue para os compradores no dia 23/04 deste ano. No blog Dados Malditos é possível encontrar um resumo do conteúdo da obra.

13010684_1769647456597829_1771258387326740921_n

Lute Por Seu Sonho – Um Compêndio de Cenários para Desafiantes

Escrito por Bruno ProsaikoJefferson NevesJorge Valpaços e Rafão AraújoLute Por Seu Sonho se propõe a fornecer cenários alternativos para Desafiantes, cuja ideia original é um pano de fundo sombrio e melancólico com cidades semelhantes à Chicago na época da proibição.

O suplemento apresenta 6 ambientações diferentes, cada uma trazendo uma introdução para situar os leitores na proposta, Conflitos Centrais, que apontam situações ou dados que podem ser usados para compor a tensão das cenas do jogo, além das Faces e Localidades, que delineiam personalidades e locais importantes para a ambientação. Cada um dos cenários também traz pequenas modificações nas regras de Desafiantes.

Em suas propostas alternativas, o livro apresenta cenários que modificam pouco o jogo, caso de “Braseiro Das Almas, 1971“, que se passa numa cidade do interior do Brasil, e “Por Detrás dos Muros”, que leva o Desafiantes para o interior dos muros de uma prisão de segurança máxima. Mas também traz ambientações que alteram significantemente as regras e o clima do RPG, como “Duelos e Bravatas“, que lida com espadachins e possui um tom mais cômico. Também tratando de temas bastante divergentes do Desafiantes clássico, Peixes e Rubi leva o jogo para a idade média de Belregard – cenário de fantasia sombria a ser lançado pela Lampião Game Studios -, já “Sangue e Areia” e “Punhos de Ferro” tratam de gladiadores e robôs combatentes respectivamente.

Lute Por Seu Sonho – Um Compêndio de Cenários para Desafiantes foi lançado 19/04, possui 40 páginas e pode ser encontrado gratuitamente em formato digital no link fornecido pelo Lampião Game Studios.

mockup_capaswnova

Savage Worlds

Lançado em 2013, este sistema de RPG foi um dos que mais recebeu suplementos e novidades nos últimos anos. Da mesma forma que GURPS e 3D&T, a proposta de Savage Worlds é fornecer um conjunto de regras que possa ser utilizado em qualquer ambientação, desde histórias medievais à ficção científica, passando por coisas muito mais estranhas.

Apesar de poder ser utilizado – e também modificado – para se encaixar em qualquer tipo de cenário, como seu nome indica, Savage Worlds tem seu foco no dinamismo e no movimento. Posicionando-se entre o GURPS e o 3D&T no quesito complexidade, este RPG busca simular personagens com diversas capacidades e conhecimentos atribuindo um dado para cada característica. Além de representar o valor de um atributo ou perícia, a marcação também representa o dado a ser utilizado – do D4 ao D12.

Com essa regras simples para medir forças e fraquezas, o combate tende a ser rápido, normalmente composto de vários inimigos que podem ser derrotados com apenas um golpe, como se fossem coadjuvantes em um filme de ação. Os antagonistas principais, assim como os personagens dos jogadores, são mais resistentes, mas mesmo eles possuem apenas três níveis de ferimento, precisando ser atingidos de verdade apenas três vezes antes de desmaiarem ou morrerem. Isso leva a contendas selvagens e furiosas, como é o mote do jogo.

Desde o seu lançamento no Brasil, foram publicados dois cenários para Savage Worlds. Deadlands, financiado junto com o livro básico, que trata de um faroeste estranho com magia e sobrenatural, e Accursed, um medieval gótico sobre a interpretação de criaturas monstruosas em busca de redenção. Além disso, Interface Zero 2.0, uma ambientação futurista cyberpunk, foi financiado em 2015 e deve ser lançado este ano.

Savage Worlds tem 218 páginas e foi lançado originalmente em 2013 pela Retropunk após ter seu projeto financiado coletivamente. Ainda assim, esse ano a editora irá lançar a segunda edição do jogo, que virá com mudanças gráficas, atualização nas regras e uma nova capa.

A pré-venda da segunda edição de Savage Worlds está prevista para 08 de abril. O livro poderá ser adquirido no financiamento coletivo dos Compêndios de Horror e Superpoderes. Inicialmente, o livro básico de Savage Worlds será impresso em capa mole e em preto-e-branco, porém metas adicionais do financiamento dos Compêndios podem aprimorar a edição. 

Devido as metas alcançadas no financiamento coletivo dos compêndios, a nova edição de Savage Worlds será capa dura e terá miolo colorido. Originalmente isto não aconteceria.

 

compe

Compêndios de Horror e Superpoderes

 

Sendo um RPG genérico, o livro básico de Savage Worlds pode ser utilizado para qualquer tipo de ambientação. Entretanto, isso acaba fazendo com que não possa abordar de forma mai específica certos temas e regras que seriam adequados apenas para um ou outro gênero. Para lidar com isto, existem os Compêndios. Os Compêndios são livros pequenos, com pouco mais de 100 páginas, que se dividem em gêneros e trazem regras, equipamento e criaturas direcionadas a trazer mais opções e sabor aos temas de que tratam.

A Retropunk já publicou o Compêndio de Fantasia em formato físico e digital, mas, os de Horror e Superpoderes só ganharam, até agora, versão em PDF. Este ano, a editora pretende viabilizar a edição impressa dos dois últimos através de financiamento coletivo, projeto este que também traz outras novidades para o sistema de Savage Worlds.

O Compêndio de Horror, de 114 páginas, é voltado para histórias onde o sobrenatural ou o medonho estão presentes, trazendo regras que abordam Sanidade, Medo, rituais, maldições, além de trazer uma longa lista de criaturas próprias de histórias de terror, indo de serial killers a onis japoneses e regras para se interpretar um ser das trevas. O de Superpoderes, que possui 98 páginas, aborda diversos tipos de níveis de poder e traz não só regras de como lidar com o tema e habilidades próprias de super-heróis, mas também equipamentos tecnológicos que são comuns a certos personagens neste tipo de história.

No financiamento dos Compêndios, existem quase 20 metas estendidas, que servirão não apenas para melhorar a qualidade dos Compêndios de Horror e Superpoderes, mas também trazer benefícios para outros livros da linha Savage Worlds e até viabilizar o lançamento de alguns novos. O Compêndio de Ficção-Científica será publicado em PDF caso o projeto alcance 22 mil reais e ganhará versão física caso alcance 29 mil reais. Já o cenário Weird Wars II será viabilizado em 48 mil e 60 mil reais. Várias outras metas trazem upgrades para os livros, normalmente capa dura e miolo colorido, além de aventuras exclusivas para Savage Worlds.

O financiamento dos Compêndios de Horror e Superpoderes começou no dia 8 de abril e terminou  7 de junho, arrecadando 43.723 reais, mais que o dobro de sua meta inicial. Devido ao valor conseguido e das metas extras atingidas, também será lançado o Compêndio de Ficção Científica em formato impresso. Todos os compêndios já foram entregues.

Chopstick

Chopstick

 

Inspirado em filmes de kung fu e brigas de gangue, Chopstick é um RPG que tem como premissa histórias que envolvam tanto criminalidade e ambientes hostis, como aquelas sob influência de sindicatos criminosos orientais, quanto confrontos envolvendo um misto de armas de fogo e artes marciais.

O livro utiliza um sistema baseado no Fate Acelerado, publicado pela Solar em 2015, que se foca mais na narrativa e no desenvolvimento dos personagens e ambientação e menos no rigor da simulação. Mas este RPG é um jogo completo e apresenta todas as regras necessárias para se jogar, dispensando material adicional.

Além de tratar da criação de personagens e combate, Chopstick também traz um capítulo dedicado a descrições e informações de gangues e grupos criminosos coreanos, japoneses e chineses, como as Tríades e a Yakuza.

Chopstick, que possuirá 80 páginas, está em financiamento coletivo no Catarse, e está sendo produzido pelo estúdio Flying Ape, composto por Guilherme Nascimento, fundador do estúdio e idealizador de Kids & Dragons, e Igor Moreno, autor de Space Dragon e parte da equipe editorial da Redbox.

Junto com a publicação do livro, também será lançado em PDF um suplemento chamado Cenas Dinâmicas, que trará 108 cenas ambientadas em Chinatown que podem ser usadas para compor ou aprimorar uma história. Os 100 primeiros apoiadores do livro receberão também O Bairro Milenar, suplemento de 32 páginas escrito por Rafael Beltrame – autor já conhecido por seus trabalhos em Old Dragon – que tratará sobre cultura chinesa e artes marciais.

O financiamento coletivo de Chopstick começou em 11/03/2016 e terminará 09/05/2016. O livro começou a ser entregue em janeiro de 2017.

fate2

Fate

Financiado através do Catarse, a quarta edição de Fate foi lançada no Brasil pela Solar apenas dois anos após ter sido publicado no exterior. Este é um sistema genérico que tem feito muito sucesso no mundo do RPG. Altamente customizável, Fate não se prende muito a regras rígidas e dá bastante atenção à criação conjunta entre mestre e jogadores.

O sistema não se prende a atributos genéricos e abstratos, ao invés disso, seu sistema de criação de personagem se foca em descrição de características e capacidades, que podem ser usadas de diversas formas durante o jogo. Pode ser jogado em qualquer tipo de ambientação, seja medieval, moderna, futurista ou qualquer outra coisa, apresentando, inclusive, regras para se construir um cenário junto com os jogadores em apenas uma sessão de jogo.

Fate tem cerca de 300 páginas e teve seu financiamento coletivo realizado pela Solar – Jogos e Entretenimento, conseguindo 198% da verba necessária para que fosse bem sucedido. O material já foi entregue aos financiadores. A versão básica de Fate começou a ser vendida em abril deste ano no site da Solar e pode ser adquirida por 80,00 reais impressa e 9,90 digital.

 

erotica

Erótica

 

Voltado para o lado narrativo dos RPGs, Erótica se foca no contar histórias sem se preocupar com aspectos como combates, fichas extensas e campanha, se propondo a partidas de até 180 minutos para 3 a 5 pessoas.

Este jogo se volta para as distopias científicas como 1984 e Admirável Mundo Novo, ou, ainda mais próximo da proposta do RPG, como a do filme Equilibrium. Na ambientação de Erótica, o mundo acabou entrando em colapso devido à escassez de recursos causada pelo consumo desenfreado. Para lidar com a situação, a solução utilizada pelos governantes e poderosos foi utilizar de nanomáquinas para controlar o desejo dos humanos, evento que acabou levando a uma nova ordem mundial. Dentro deste panorama, a comunidade de Erótica é considerada como tendo um alto índice de infrações, principalmente devido às festas libertinas que são promovidas.

Durante a partida, os jogadores interpretam personagens que têm convicções diferentes das leis restritivas que regem a colônia onde está situada a comunidade de Erótica e estarão numa das Festas do lugar, tentando realizar os desejos de sua Lista de Desejos. Os jogadores controlam não apenas ações dos seus personagens e como também eventos da Festa, através do sistema de Atividade da Festa. Além disso, é preciso gerenciar os Pontos de Sedução do personagem, que podem ser utilizados para manipular os outros a ajudar a concretizar algum desejo e também os Pontos de Destino, que, apesar de protegerem o personagem de complicações criadas pela festa, também fazem com que a central de inteligência do exército comece a rastrear as infrações do evento e o fim do jogo se aproxime.

Erótica, que terá por volta de 84 páginas, é de autoria de Alan Silva, que publicou Cachorros Samurai através da Pensamento Coletivo, e está com seu projeto de financiamento ativo no Kickante.

O financiamento coletivo de Erótica começou em 08/03/2016 e terminará 02/05/2016. A entrega do livro estava prevista para Julho. No entanto, o jogo não conseguiu arrecadar o necessário para ser viabilizado.

Desafiantes-capa

Desafiantes

 

Se embrenhando no mundo do boxe underground, a proposta de Desafiantes é criar uma história que mostre as mazelas de personagens com uma vida difícil, mas que têm a esperança de conquistar algo bom em troca do próprio sangue e suor.

Esta dualidade entre desespero e esperança é um dos temas principais do jogo, cujos personagens invariavelmente serão pugilistas com uma vida incerta, dívidas e um companheiro ou parente por quem são responsáveis. Mas tudo é sempre em tons de cinza. O irmão querido de um personagem pode ter um excelente coração, mas invariavelmente trará problemas ao voltar a se viciar em cocaína e contrair dívidas com grandes traficantes. Aspectos bastantes narrativos, mas que são cobertos no jogo com sistemas que gerenciam as necessidades dos personagens. O mundo do boxe underground é injusto e sombrio, e em Desafiantes nem todos terão o que é preciso para se tornarem campeões.

Não existe mestre neste RPG, os jogadores se revezam para criar cenas para os seus personagens, escolhendo o teor delas, podendo ser uma cena de trabalho sujo, luta, treinamento etc. Quando não estão interpretando os próprios personagens, os participantes tomam o papel de chefes do crime, treinadores e conexões dos outros jogadores. O sistema prescinde o uso de dados, se valendo de cartas de baralho para definir resoluções e até mesmo o tom e resultado de cenas inteiras. Apesar de durar mais de uma sessão, as histórias criadas no jogo não são muito extensas e têm um final bem definido para os personagens: que podem sair da lama, se afogar nela ou apenas conseguirem continuar onde sempre estiveram.

Desafiantes, de 36 páginas, foi traduzido pelo Lampião Game Studio e está sendo publicado pela editora Pensamento Coletivo. Acompanham o livro 8 cartas de tática, que são utilizadas durante as lutas de boxe para determinar a estratégia do personagem.

A pré-venda de Desafiantes começou no dia 4 de março. O jogo já está disponível para venda e já está sendo entregue aos compradores.

rf-monstro-capa

Monstronomicon

 

Este suplemento para Reinos de Ferro RPG segue o modelo “bestiário”, como o Manual dos Monstros de D&D, e tem como objetivo principal apresentar adversários não-humanos para serem utilizados contra os jogadores.

Mantendo-se no tema “Fantasia Forjada em Metal”, que é o mote de Reinos de Ferro, o livro traz várias criaturas voltadas para a temática steampunk – como o fantasma pistoleiro – ou que sejam espécies de construtos artificiais – como a Donzela de Ferro. Diferente de outros títulos que enumeram monstros e adversários, os inimigos apresentados em Monstronomicon não possuem tons cinza. Além algumas criaturas naturais, o livro se foca realmente em seres malignos, mortos-vivos e abominações.

Além dos 40 monstros e criaturas que são apresentados no livro, Monstronomicon também traz um apêndice com arquétipos, modelos que podem ser aplicados aos inimigos para modificá-los e customizá-los. Alguns desses arquétipos, como o do Caçador, podem ser aplicados a qualquer inimigo, outros, como Atira-Feitiços, são exclusivos de um único monstro, no caso, o Fantasma Pistoleiro.

Monstronomicon tem 96 páginas e foi publicado pela Jambô Editora, sendo o segundo suplemento de Reinos de Ferro RPG a ser lançado no Brasil. A tradução do livro ficou a cargo do grupo Reduto do Bucaneiro.

A pré-venda de Monstronomicon se iniciou em 09/03/2016 e o livro começou a ser entregue em 20/03/2016.

gumshoe-package-1024x414

The GUMSHOE Adventure Package

Em formato inovador, o GUMSHOE Adventure Package não é exatamente um produto, mas sim uma espécie de assinatura cuja proposta é trazer mensalmente aventuras para jogos do sistema Gumshoe. Até o momento, todas elas são para o Rastros de Cthulhu, no entanto, com o lançamento de Esoterroristas (que deve ser lançado no fim do ano) é possível que este RPG também seja contemplado.

O GUMSHOE Adventure Package começou em janeiro deste ano, custando 110 reais. O valor contempla um ano de assinatura e, portanto, 12 aventuras do sistema Gumshoe.

Algumas das aventuras lançadas foram:

JAN 21 – Os Observadores no Céu (The Watchers in the Sky)
FEV 21 – Castle Bravo (Catle Bravo)
MAR 21 – Dança no Sangue (Dance in the Blood)
ABR 21 – A Caixa Dilaceradora (The Rending Box)
MAI 21 – Não Tão Tranquilo (Not So Quiet)
JUN 21 – A Gota Preta (The Black Drop)

olddragon

Old Dragon – Caixa Básica

 

Old Dragon é um sistema baseado em D&D que tem como proposta se afastar da terceira edição do jogo e se aproximar das versões mais clássicas de Dungeons & Dragons. Este RPG old school foi publicado em 2010 pela Redbox Editora, mas já existia de forma independente antes disto.

Diferente de outros sistemas considerados “retroclones” de D&D, os criadores de Old Dragon o consideram como um “retrogolem”, por não apenas tentar emular as edições antigas, mas sim construir algo novo com base em noções de mais de uma das velhas edições de D&D, ainda que mantendo o clima de velha guarda.

A Redbox permite, e incentiva, a criação de material para Old Dragon, com base na Licença Open Dragon, sendo livres o desenvolvimento, publicação e compartilhamento de material baseado no sistema desde que se creditem os autores e a obra original. Devido a isso, mais de uma editora brasileira já publicou suplementos e aventuras compatíveis com o Old Dragon.

A edição da caixa básica de Old Dragon que será lançada este ano terá alterações na capa, logo da empresa e outros detalhes menores, seguindo o novo padrão em toda linha deste sistema.

A Caixa Básica de Old Dragon, que contém o livro básico do sistema de 162 páginas, dados, fichas prontas, escudo do mestre e outros acessórios, foi relançada em 2015 pela Redbox Editora.

A pré-venda do livro começou em 31/03 e foi lançado em maio. No entanto, já está esgotada no site da editora.

bestiario

Old Dragon – Bestiário

 

Seguindo a sua grande inspiração no D&D, o Bestiário de Old Dragon é um clássico livro dos monstros, trazendo ilustrações de criaturas de diversos tipos e periculosidades e suas estatísticas, para que sejam utilizadas contra – ou ao lado – dos jogadores.

Neste suplemento de Old Dragon, é possível encontrar mais de 200 criaturas, com descrições e informações completas. Indo de simples animais até o invencível Cthulhu, a obra apresenta ameaças que podem ser utilizadas em diversos tipos de aventuras e níveis de personagem.

Além dos monstros, o Bestiário também conta com modelos, que podem ser utilizados para personalizar as criaturas; encontros aleatórios; dicas para criação de novos inimigos e tabelas de referência com dados de vida, habitat e conceito dos inimigos.

O livro já havia sido publicado pela Redbox no passado, mas a nova tiragem,, além de se adequar aos novos padrões estéticos da linha – que incluem a mudança da logo da editora -, será lançada com capa dura, como o livro básico do jogo.

O Bestiário de Old Dragon tem 220 páginas, é de autoria de Fabiano Neme e foi publicado pela Redbox Editora.

A pré-venda do livro começou em 31/03 e seu lançamento aconteceu no dia 16 de maio. A o livro pode ser adquirido por 74,90.

3DT-TAlpha-capa

Tormenta Alpha

 

Tormenta tem uma longa história no RPG brasileiro. Surgido em 1999 na Dragão Brasil, esse cenário nacional mistura elementos clássicos da fantasia medieval com ideias, personagens e climas de mangás e animações japonesas. Já fazem alguns anos que Tormenta ganhou seu próprio sistema, baseado no sistema D20, mas este ano a Jambô decidiu retornar o jogo ao 3D&T, lançando um livro do cenário para este sistema nacional.

Desde sua criação, o cenário de Tormenta ganhou várias histórias e passou por diversos sistemas de regras. Muitos RPGistas brasileiros conhecem os personagens e eventos que moldaram a história atual de Tormenta: personalidades como o Paladino e o Mestre Arsenal são velhos conhecidos no meio RPGístico, bem como a caçada aos Rubis da Virtude, que é contada na HQ Holy Avenger. Isso sem falar na própria Tormenta, a tempestade rubra e alienígena que contamina o mundo de Arton com loucura, destruição e demônios incompreensíveis.

Por estar adaptado ao 3D&T, Tormenta Alpha não tem a série de restrições que o sistema Tormenta RPG trazia, como a progressão em níveis, balanceamento de classes e um certo foco em histórias sobre o crescimento dos personagens. A versão Alpha trará abordagens bastante diferentes, lidando com diversas escalas de poder, indo da heroica à divina. Uma das premissas do Tormenta Alpha é que se possa jogar tanto aventuras simples, com heróis comuns salvando um vilarejo, quanto se interpretar heróis com capacidades épicas em uma campanha para se derrotar a própria Tormenta.

Além da descrição do mundo de Arton, do Reinado e outros pontos importantes para o cenário, Tormenta Alpha traz novas regras para 3D&T, como vantagens e desvantagens apropriadas para a ambientação, e “superkits” de personagem, como Arquimago, sumo-sacerdote e Lich.

Tormenta Alpha terá 192 páginas e será publicado pela Jambô Editora. Além das versões física e digital, também está sendo publicada uma edição de luxo, com capa dura, poster e cartelas com símbolos dos deuses e reinos de Tormenta.

A pré-venda do livro começou no dia 09/03 e a o livro começou a ser enviado no fim do mesmo mês.

Além do RPG de mesa, também está sendo produzido um jogo virtual de Holy Avenger. O projeto da obra é da Messier Games & Animation e o beta do game deve ser apresentado ainda em 2016, na Brasil Game Show.

 



Comentários