Comentários

Depois de lutar contra a Legião Ardente e usar as Armas Artefato, muitos acharam que World of Warcraft não teria como criar uma nova expansão tão promissora e interessante. Puro e bobo engano, embora não tenhamos nenhum grande vilão se apresentando nas belas cinemáticas do jogo, World of Warcraft decidiu explorar aquilo que dá nome ao game: A Guerra. Sim, finalmente, as tensões passaram a se transformar em ações e a guerra entre Horda e Aliança explodiu novamente. 

Em Battle for Azeroth vemos ambientes impressionantes, personagens interessantes e belas adições e transformações na mecânica do jogo. Pode-se dizer que a palavra de ordem é renovação. World of Warcraft não é um jogo novo, mas a nova expansão consegue revigorar o game e mostrar que ainda há muito pela frente.

Apesar de ainda termos elementos veteranos como Quests Mundiais, uma espécie de Poder do Artefato e outros elementos introduzidos em expansões anteriores, Battle for Azeroth traz uma sensação de frescor e novidade, até para os jogadores mais antigos (eu mesmo comecei em Wrath of the Lich King, muitos anos atrás). É inegável, Azeroth precisa de novos heróis, com uma lore tão rica e tão densa, é preciso que novos heróis se levantem para começar novas histórias e expandir para novos horizontes. E isso é bem explorado com a apresentação das raças aliadas, que dão a oportunidade dos jogadores criarem novos personagens com habilidades raciais diferentes, embora pareçam apenas variações de raças antigas para alguns, esse novo elemento traz a chance de criar um personagem com uma nova backstory, explorar suas histórias em expansões anteriores, entender mais do mundo de Azeroth e se transformar em um novo campeão da Horda ou Aliança.

Todas as raças aliadas são ‘novatas’ em suas respectivas facções, trazendo uma bela mecânica de ‘conquista’ deste recurso: você precisa convidar a raça para se juntar à sua, para isso, deve ganhar o respeito deles e fazer uma série de missões. E quem aceitar o desafio de criar este novo personagem e chegar ao nível máximo, ainda ganhará uma bela recompensa cosmética: uma armadura exclusiva.

Além disso, ao invés de dar apenas um artefato para os jogadores, o game traz as Armaduras de Azerita, com cada peça trazendo diferentes escolhas para o jogador, que deseja customizar a forma como seu personagem age em batalha. Sim, diferente das demais expansões, não temos novas habilidades ou talentos entre o nível 110 para 120, você pode até achar que isso não traz nenhuma mudança drástica para seu personagem, mas as constantes escolhas que o jogador precisa fazer muda toda a forma de jogar.

Sobre as novas áreas é preciso dizer que são ótimas zonas para explorar. Com uma grande variedade de ambientes e experiências, o jogo consegue adicionar piratas, dinossauros, deuses antigos e laços familiares em suas missões. A Blizzard também renovou a narrativa do jogo, desde os primeiros segundos da expansão é possível notar que a ideia é manter o jogador interessado e entretido entre as missões, embora ainda tenhamos objetivos comuns como catar objetos e matar monstros, há uma mudança significativa em como o jogador acompanha a história da expansão.

Outro ponto inteligente é que a expansão parece ser bem diferente para os jogadores da Horda e da Aliança. Cada facção acompanha um lado diferente da história, como de costume, porém, até agora, geralmente tínhamos experiências bem similares. Em Battle for Azeroth isso muda completamente, a Horda enfrenta um caminho mais violento e cheio de ação, enquanto a Aliança acompanha a luta de Jaina para conquistar o respeito e o apoio de seus familiares para a facção.

Enquanto isso, temos também as tradicionais dungeons, que estão repletas de conteúdo, algumas evocam um sentimento mais clássico, enquanto outras se mostram como um verdadeiro corredor de batalhas. Porém, o ponto alto está nas expedições, cenários que possuem uma quantidade enorme de variação, evitando que o jogador sinta que o ato seja repetitivo. Toda vez que você decidir fazer uma expedição, enfrentará novos inimigos. E para cada grupo diferente de inimigos, há novas estratégias e dinâmicas a serem adotadas, além de ótimas recompensas.

E se você acha que isso é suficiente, saiba que o jogo adicionou mais: a Guerra continua entre a Aliança e a Horda e o progresso do seu personagem acaba se encontrando com os jogadores da facção oposta, onde você pode (se quiser) enfrentar outros jogadores (basta ativar o PvP).

Para quem gosta de MMORPG, World of Warcraft consegue se renovar e, ainda assim, trazer toda a magia clássica da experiência. Azeroth está se renovando e precisa de novos heróis para sua história, a história do jogo te convida para isso, seja você um jogador veterano ou novato. É um novo ciclo, um desafio, uma nova aventura com o mesmo World of Warcraft que se tornou um dos maiores jogos online do mundo. Se você está pensando em começar a jogar ou se está pensando em retornar, aqui vai nosso veredito: Vale muito a pena!



Comentários